Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
8

Mãe de vítima do Meco não consegue ultrapassar a dor e quer dux em tribunal: "há 72 meses que vou a um psiquiatra"

Pais de Catarina Soares exigem justiça e apesar de a luta ser dura, prometem não desistir.
Correio da Manhã 14 de Janeiro de 2020 às 11:59
António Soares e Fernanda Cristóvão, pais de Catarina Soares
António Soares e Fernanda Cristóvão
António Soares e Fernanda Cristóvão
António Soares e Fernanda Cristóvão
António Soares e Fernanda Cristóvão, pais de Catarina Soares
António Soares e Fernanda Cristóvão
António Soares e Fernanda Cristóvão
António Soares e Fernanda Cristóvão
António Soares e Fernanda Cristóvão, pais de Catarina Soares
António Soares e Fernanda Cristóvão
António Soares e Fernanda Cristóvão
António Soares e Fernanda Cristóvão
António Soares e Fernanda Cristóvão, pais de Catarina Soares, uma das vítimas do Meco, reagiram em direto na CMTV à decisão tomada pelo Tribunal Europeu de condenar o Estado português por investigação "ineficaz" no caso Meco. 

O pai de Catarina começou por dizer que sempre duvidaram da investigação levada a cabo pelo Estado e que continuam com o objetivo de que João Gouveia, o único sobrevivente da tragédia, conte o que realmente se passou. 
 
"Dá-nos algum alento para o processo que vai decorrer a seguir", conta acabando por não conseguir continuar o discurso devido à emoção. Fernanda afirma que não tem "capacidade para desculpar o Estado" e que as "desculpas não se pedem". 

Segundo esta mãe, o Estado não utilizou tudo aquilo que tinha ao seu alcance durante a investigação. 

O Tribunal Europeu dos Direitos do Homem condenou o Estado português a pagar uma indemnização de 13 mil euros a José Carlos Soares Campos, pai de Tiago Santos, uma das seis vítimas da tragédia do Meco. O jovem de 21 anos morreu durante uma praxe na referida praia.

De acordo com o TEDH, a investigação foi "ineficaz". Além disso, foram colocadas em causa as análises forenses feitas durante a investigação. 

Pais querem João Gouveia em tribunal: "Foi a última pessoa que ouviu a voz da minha filha"
António Soares e Fernanda Cristóvão, pais de Catarina Soares, uma das vítimas do Meco, revelaram em exclusivo à CMTV que ainda têm esperança de ouvir o dux João Gouveia em tribunal. "Ainda é possível. Temos em marcha um processo cível contra a Universidade Lusófona e o João Gouveia. O que nós desejamos é que ele conte tudo o que se passou", disse António, visivelmente emocionado.

"Nós perdemos os nossos filhos. Sabemos como é que aconteceu. Mas queremos saber, e vamos fazer os possíveis para saber, o que é que levou os nossos filhos àquele local", acrescentou, dizendo que a única pessoa que pode esclarecer o mistério é João Gouveia, o único estudante sobrevivente. "Ele foi a última pessoa que ouviu a voz da minha filha", afirma.


Já Fernanda Cristóvão garantiu ao CM que não vai descansar enquanto não fizer justiça pela filha e pelos colegas que morreram afogados na praia do Meco, há sete anos.

"A vida da minha filha não tem preço. Mas eu necessito que valorizem a vida dela e dos outros cinco jovens que para nós (pais) são tudo", afirma.

"Tudo isto é muito duro"
"A minha filha dizia que eu era a melhor mãe do mundo (...) Tudo isto é muito duro. Eu e o meu marido vamos ao psiquiatra todos os meses. Fez agora 72 meses que a minha filha morreu naquela praia...há 72 meses que eu vou a um psiquiatra", garantiu Fernanda sem conseguir controlar a emoção. 

Por fim, os pais de Catarina deixaram bem claro que a única razão da sua luta é a memória da filha: "Se a minha filha cá estivesse fazia o mesmo que nós. Era uma miúda lutadora (...) Se ela nos estiver a ver, concerteza que está a dar força aos pais", explicam.
Meco CMTV Tribunal Europeu António Soares Catarina Soares Fernanda Cristóvão Tribunal Europei Estado
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)