Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
2

'EXIGEM AOS BOMBEIROS O QUE MAIS NINGUÉM NO PAÍS TEM'

O presidente da Associação Humanitária dos Bombeiros da Parede alertou ontem o poder político para o facto de as corporações de 'soldados da paz' de todo o país terem, em tempo de crise, de financiar as suas próprias actividades.
11 de Agosto de 2003 às 00:00
Jaime Fonseca salientou a vocação comunitária da corporação
Jaime Fonseca salientou a vocação comunitária da corporação FOTO: José Barradas
"Quando o primeiro-ministro diz que o país está de tanga, exige-se aos bombeiros o que mais ninguém tem. Temos de financiar o combate aos fogos, serviços pré-hospitalar e de emergência médica, e tudo o mais que substitua o Estado", referiu Jaime Vidigal Fonseca, no discurso comemorativo dos 77 anos da corporação.
Exemplo disso é, segundo o dirigente associativo, o facto de três das quatro novas viaturas que ontem entraram ao serviço da corporação (uma ambulância, um auto-tanque, e dois veículos de transporte), "terem sido custeadas pela corporação".
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)