Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
7

Expira o prazo de três medidas de coação de António Mexia e Manso Neto no caso EDP

"Estas medidas de coação caíram, porque não foi deduzida nenhuma acusação no prazo legal de seis meses", dizem os advogados.
Lusa 11 de Janeiro de 2021 às 13:59
manso neto antonio mexia
manso neto antonio mexia
Três das cinco medidas de coação aplicadas ao ex-presidente da EDP António Mexia e ao antigo presidente da EDP Renováveis João Manso Neto deixaram de ter efeito dado que ainda não foi deduzida acusação no "Processo dos EDP/CMEC".

Segundo um comunicado da defesa dos dois arguidos, enviado hoje à agência Lusa, em causa estão a proibição de António Mexia e Manso Neto se ausentarem para o estrangeiro, com entrega de passaporte, a proibição de frequentarem determinados lugares e também o impedimento de contactarem com outros arguidos e testemunhas do processo.

"Estas medidas de coação caíram, porque não foi deduzida nenhuma acusação contra António Mexia e João Manso Neto no prazo legal de seis meses após o início da sua execução", indica a nota dos advogados.

António Mexia Processo tribunal questões sociais
Ver comentários