Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
3

Falhou um objectivo da rusga

Um dos objectivos da operação policial ‘Escritórios da Noite’, desencadeada pela PJ em bares de alterne de seis cidades transmontanas que o CM ontem noticiou, não foi alcançado.
8 de Dezembro de 2006 às 00:00
Um dos arguidos em Tribunal
Um dos arguidos em Tribunal FOTO: Luís C. Ribeiro
A PJ pretendia localizar duas mulheres de nacionalidade brasileira, suspeitas de tentativa de homicídio de um português de Alijó, que, devido às agressões de que foi vítima, ficou paraplégico.
Ao que o CM apurou, as suspeitas terão fugido para Espanha, escapando ‘por entre os dedos’ aos inspectores da PJ.
Entretanto, os detidos da mega-rusga da PJ no Bar Trinitá, em Mirandela continuavam ontem à noite a ser ouvidos, num interrogatório que se prolongou desde a tarde de anteontem.
Todavia, os presentes nas comarcas de Chaves, Carrazeda de Ansiães, Vila Flor e Vila Real foram sujeitos a medidas de coacção que variaram entre o TIR (Termo de Identidade e Residência), apresentações periódicas e cauções para dois proprietários de bares, no valor de 1750 euros.
As cidadãs brasileiras identificadas na operação tiveram medidas de coacção diferentes. Às que foram detidas pela primeira vez foi-lhes entregue uma carta com a indicação de que deveriam abandonar o País nos próximos vinte dias.
As restantes, algumas das quais já com processos pendentes no SEF, foram encaminhadas para o Porto, para que sejam expulsas nos próximos dias para o Brasil.
A PJ apanhou ainda armas, dinheiro e passaportes.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)