Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
7

Falso locutor faz chantagem sexual

Dizia trabalhar numa rádio, submetia as mulheres a inquéritos íntimos e através das informações pessoais obtidas obrigava-as a marcar encontros.
28 de Abril de 2010 às 00:30
Alguma mulheres cederam à chantagem do falso locutor e encontraram-se com ele
Alguma mulheres cederam à chantagem do falso locutor e encontraram-se com ele FOTO: getty images

Ao telefone, o homem apresentava-se como locutor de uma rádio de Vila Real, dizia estar a realizar um inquérito e pedia às mulheres que respondessem a várias perguntas íntimas sob o pretexto de poderem ganhar um prémio. Cerca de um mês depois, o detido voltava a contactar as vítimas, mas desta vez para fazer chantagem sexual. Através do uso das informações obtidas, ameaçava as mulheres, dizia ter fotografias em sua posse de situações comprometedoras e forçava-as a marcar encontros de cariz sexual.

Pelo menos quatro raparigas foram vítimas do predador, que ontem foi identificado pela Polícia Judiciária e constituído arguido.

Ouvidas na Polícia Judiciária, as mulheres confessaram que cederam à chantagem do falso locutor e que se encontraram com ele. No entanto, todas as jovens garantiram que se recusaram a manter qualquer contacto de natureza sexual pois optaram por apresentar queixa na polícia.

As autoridades suspeitam de que muitas outras mulheres tenham sido vítimas do predador, mas que não denunciaram o caso por vergonha.

O predador actuou da mesma forma em todos os casos. Numa primeira fase, o homem apresentou-se às vítimas como locutor e à medida que ia ganhando a sua confiança as perguntas ficavam cada vez mais pessoais. O suspeito questionou as mulheres sobre os relacionamentos passados, fez perguntas de teor sexual e chegou mesmo a falar sobre questões médicas. Aliciadas com a hipótese de ganharem um prémio, as mulheres responderam às perguntas, achando sempre que a sua identidade não iria ser revelada. Tempo depois, o homem voltava a ligar. Aí, já não se apresentava como locutor, mas as vítimas conseguiam reconhecer-lhe a voz.

Durante os dias seguintes as mulheres viviam verdadeiros momentos de terror: eram ameaçadas por telefone, perseguidas e coagidas a ceder e a ter um encontro sexual com o predador.

Após ter andado durante meses a aterrorizar mulheres, o homem foi ontem apanhado pela Polícia Judiciária de Vila Real.

FAZIA-SE PASSAR POR MÉDICO PARA ABUSAR DE JOVENS

Há menos de duas semanas o CM divulgou um caso idêntico. Nas zonas norte e centro do País, um homem que se fazia passar por médico dizia às mulheres que corriam risco de ter um tumor e pedia-lhes que filmassem os órgãos genitais ou que se masturbassem, pois era urgente que fizessem exames via telemóvel.

As vítimas enviavam os vídeos ao predador e aquele marcava uma consulta para o dia seguinte, mas tudo não passava de um engano.

Nos últimos anos dezenas de mulheres foram enganadas.

PORMENORES

COACÇÃO SEXUAL

O falso locutor pode vir a ser acusado de coacção sexual, crime para o qual o Código Penal prevê uma pena que pode ir até aos dois anos de prisão, podendo, por isso, ser suspensa.

PJ APELA  A QUEIXA

A Polícia Judiciária do Vila Real, que investiga o predador, alerta as mulheres para que estejam atentas a este tipo de telefonemas e recomenda que apresentem queixa caso sejam ou tenham sido vítimas.

 

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)