Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal

Falso PJ condenado a 18 meses de cadeia

O Tribunal de Penacova condenou ontem a 18 meses de prisão, suspensa por igual período, um homem que sequestrou um amigo para o forçar a retirar uma queixa contra ele. Quando combinou o encontro, por telefone, fez-se passar por um inspector da Polícia Judiciária que nesse momento estava a fazer uma escuta telefónica à vítima, no âmbito de uma investigação por passagem de moeda falsa.

7 de Maio de 2009 às 00:30
Jovem telefonava a altas horas da noite
Jovem telefonava a altas horas da noite FOTO: Tiago Sousa Dias

O arguido conseguiu que a queixa-crime, por alegada ameaça de morte, fosse retirada, mas a chamada telefónica foi o suficiente para o implicar nos crimes de sequestro e coacção, pelos quais foi ontem condenado.

A vítima esteve fechada na mala de um carro comercial e foi ameaçada, num local ermo, junto à barragem da Aguieira.

Os dois homens eram amigos de infância, sendo ambos arguidos num processo ainda em investigação, em Arganil, relativo a passagem de moeda falsa.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)