Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
5

Falso polícia fez 16 furtos

O primeiro crime foi a 22 de Janeiro, num consultório da avenida António Augusto de Aguiar, em Lisboa. Identificando-se como agente da PSP, Fernando J., um madeirense de 36 anos, afirmou estar em missão de fiscalização. ‘Inventando’ uma casa de banho inundada, desviou a atenção das funcionárias, roubando dinheiro e cheques.

23 de Maio de 2009 às 00:30
O detido, Fernando J., de 36 anos, identificava-se como agente da PSP
O detido, Fernando J., de 36 anos, identificava-se como agente da PSP FOTO: Gonçalo Oliveira

Depois disso, e até 14 de Maio, seguiram-se mais 15 furtos semelhantes, praticados por um homem que já cumpriu pena de prisão e não tem morada fixa.

Só com o auxílio da Polícia Judiciária, e de meios tecnológicos que permitiram fazer o retrato-robô do suspeito, é que a 1ª Esquadra de Investigação Criminal (EIC) da PSP de Lisboa conseguiu anteontem localizar e deter o suspeito, quando caminhava despreocupado no Intendente.

A acção de quinta-feira foi o culminar de quatro meses de investigações, em que a 1ª EIC reuniu denúncias, efectuou vigilâncias e usou informadores. Detido e levado para a esquadra, Fernando J. foi identificado por 13 vítimas. Ficou provado que, pelo menos numa situação, ocorrida a 6 de Maio numa clínica da avenida João XXI, em Lisboa, o madeirense usou um alicate para ameaçar funcionárias, fugindo com um cofre.

O procurador responsável pelo processo, da 4ª Secção do DIAP de Lisboa, ouviu ontem à tarde o detido em interrogatório. A PSP alertou-o para a falta de domicílio fixo do arguido, e consequente perigo de fuga. O magistrado optou por continuar hoje com o interrogatório.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)