Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
8

Falta de tradutor adia preventiva

A falta de um intérprete levou ontem o juiz de Instrução Criminal do Tribunal de Leiria a adiar para amanhã o interrogatório ao holandês suspeito de matar um homem à facada e ferir outro, sexta-feira, na Marinha Grande.
7 de Agosto de 2011 às 00:30
O alegado homicida à entrada do Tribunal de Leiria, onde esteve durante toda a manhã de ontem
O alegado homicida à entrada do Tribunal de Leiria, onde esteve durante toda a manhã de ontem FOTO: Rui Miguel Pedrosa

O suspeito, de 50 anos, entrou sorridente no Tribunal de Leiria, onde esteve toda a manhã. Foi identificado pelo juiz de Instrução, que validou a detenção e lhe descreveu os factos de que está indiciado, mas não foi interrogado por falta de um intérprete. Vai continuar detido, até ser fixada a medida de coacção.

As razões que motivaram o ataque aos dois homens, José Ferreira e Carlos Campos, ambos de 34 anos, junto de uma casa devoluta ocupada por toxicodependentes, ainda estão a ser investigadas pela PJ. Admite-se que uma troca de "bocas" entre os envolvidos poderá ter gerado o conflito.

Os dois homens tinham estado num churrasco, na hospedaria onde estavam alojados, tendo saído para acompanhar a namorada de um deles a casa.

Ao passarem pela casa devoluta, onde pernoitava o homicida, foram atacados à facada. José Ferreira sofreu um único golpe mortal, enquanto Carlos Campos continuava ontem internado, em estado muito grave, no Hospital de Leiria.

LEIRIA PREVENTIVA HOMICÍDIO ESFAQUEADO
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)