Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
9

Família de doente acusa lar de falta de cuidados

Sinais de “desidratação em elevada escala” levaram a família de António Guerreiro, 56 anos e doente acamado no Lar de S. Barnabé, no concelho de Almodôvar, a transportá-lo pelos seus próprios meios para a urgência do Hospital de Beja no passado dia 2 de Julho.
17 de Julho de 2006 às 00:00
Os familiares acusam o Lar de “negligência” nos cuidados com o doente. O estabelecimento afirma que António Guerreiro estava “controlado” e que a família se precipitou ao levá-lo.
Hélder Francisco, sobrinho do doente, afirma que não teve alternativa. “Encontrámos o meu tio num estado horrível. Não comia, não bebia, estava seco e entupido em fezes. Não devia meter nada à boca há dias”, acrescentou.
Contactado pelo CM, o Hospital de Beja, no boletim clínico de António Guerreiro, confirma apenas a desidratação.
O doente encontra-se em estado quase vegetativo, sofre de hidrocefalia, quando criança padeceu de uma meningite e foi internado no Lar há seis anos depois de sofrer um acidente vascular-cerebral.
“O ‘Tonico’ [nome por que é conhecido em S. Barnabé] é o menino dos nossos olhos. Não nos acusem de falta de cuidados”, disse Conceição Gonçalves, directora técnica do Lar.
“Aceitamos esse quadro da desidratação. Talvez com o calor tenha comido um pouco menos, mas estava alimentado e medicado”, acrescentou.
GUERRA PELO 'TÓNICO'
Os familiares, depois da alta médica, voltaram a levar o doente para o mesmo lar. “Não temos possibilidade de o ter em casa. A estadia é comparticipada, mas pagamos 100 euros por mês, mais os medicamentos e as fraldas. A tratarem-no assim, parece que querem mandá-lo para casa”, disse Joaquim Francisco, cunhado.
Este cenário é afastado pelo Lar, embora esteja a ponderar a transferência do doente para o Centro de Saúde de Almodôvar. “Queremos ficar com ele, pois é um doente muito querido, mas acusam-nos de tudo, até quando ele espirra... Já temos medo de tratar dele, pois a família está sempre a arranjar problemas”, disse a directora, Conceição Gonçalves.
OUTROS CASOS
QUEIMADA
Uma idosa morreu na sequência de várias queimaduras provocadas por água a ferver durante o banho, no Lar de S. Barnabé, no final do ano passado. Uma funcionária, entretanto despedida, e o estabelecimento respondem em tribunal, acusados de negligência.
DESAPARECEU
Há cerca de cinco anos um idoso desapareceu do mesmo lar. Durante dias foram intensificadas as buscas, mas o homem nunca apareceu, nem vivo nem morto.
ASSISTÊNCIA
Os utentes poucas vezes recebem a visita de médicos ou enfermeiros no Lar de S. Barnabé, situado no centro da Serra do Caldeirão, num local isolado e de acessos sinuosos.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)