Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
2

Família morava com duas jiboias

Casal tinha cobras com mais de dois metros e que pesam entre 15 a 17 quilos dentro de um aquário há cerca de dez anos. Criança convivia com animais
19 de Julho de 2013 às 01:00

Quando os militares do Núcleo de Proteção Ambiental da GNR entraram na habitação, no lugar de Vila Verde, em São Martinho de Mouros, Resende, nem queriam acreditar no que viam. Dentro de um aquário de grandes dimensões, um casal mantinha em cativeiro duas jiboias com mais de três metros de comprimento e que pesam entre 15 a 17 quilos. As cobras eram os animais de estimação do casal de namorados, com cerca de 30 anos, e de um filho, de apenas sete. A
família arrisca-se agora a ter de pagar uma multa que varia entre os 12500 ou 17500 euros.

A descoberta foi feita na quarta-feira depois de as autoridades terem recebido várias chamadas anónimas a denunciar o caso. Segundo o CM apurou, o casal terá adquirido as duas jiboias ainda bebés na Suíça, há cerca de dez anos. À GNR o dono das cobras garantiu que é apaixonado por répteis – que aquando do resgate estavam bem tratados. No aquário há até temperatura controlada.

De acordo com as autoridades, as jiboias que estavam ilegalmente em cativeiro, e que não são venenosas, não representavam perigo para a família nem para a criança. Até serem removidas pelo Instituto de Conservação da Natureza e Biodiversidade (ICNBA) – que já foi contactado –, as cobras irão continuar na posse do casal.

Em Portugal, para se ter jiboias é necessário um registo e a falta dele constitui uma contraordenação ambiental grave. Apenas os jardins zoológicos ou os circos costumam ter este tipo de cobras no nosso país.

COBRAS JIBOIAS APREENSÃO RESENDE
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)