Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
9

Família traficava droga às claras

Agente tentou recuperar droga num cano de esgoto e foi contaminado com urina de rato
23 de Abril de 2010 às 00:30
Família traficava droga às claras
Família traficava droga às claras FOTO: Sónia Caldas / Correio da Manhã

Os 23 arguidos – grande parte deles oriundos da família do Bairro do Lagarteiro, no Porto, conhecida pela alcunha de ‘Gadelhas’ – implicados numa rede de tráfico de droga desmantelada em Fevereiro do ano passado começam a ser julgados em Julho, no Tribunal de Gondomar. Na operação da Divisão de Investigação Criminal de Rio Tinto, um polícia ficou em coma por ter sido infectado com urina de rato.

Depois de semanas a lutar pela vida, António Gonçalves recuperou e já regressou ao serviço da PSP, na Divisão de Investigação Criminal do Porto.

Em Fevereiro do ano passado, depois de um ano de investigações, a PSP realizou buscas no Lagarteiro, onde um suspeito deitou droga pela sanita para não ser apanhado com provas. António Gonçalves e mais dois agentes decidiram descer ao esgoto para recuperar o estupefaciente.

Aí, o agente terá estado em contacto com urina de rato, que o infectou. No dia seguinte, foi ao hospital com fortes dores de cabeça e acabou por ficar em coma. O PSP será uma das testemunhas de acusação no julgamento em Gondomar. 

PORMENORES

FAMÍLIA CHEFIAVA REDE

Os principais arguidos são alguns membros da família apelidada de ‘Gadelhas’, do Bairro do Lagarteiro, no Porto, e são acusados de ter liderado a rede de tráfico de droga que será julgada em Gondomar, no próximo mês de Julho.

BUSCAS DOMICILIÁRIAS 

Na altura, a Divisão de Investigação Criminal da PSP de Rio Tinto apreendeu 15 mil doses de haxixe, 400 de heroína e 100 de cocaína. 15 pessoas foram detidas. As diligências permitiram às autoridades levar a julgamento outros oito arguidos.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)