Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
5

'Fecho de Urgências é melhor'

O ministro da Saúde, Correia de Campos, disse ontem que o processo de encerramento de 15 urgências hospitalares implica apenas alterações para melhor.
8 de Dezembro de 2007 às 00:00
“Temos um programa de substituição do funcionamento nocturno das chamadas Urgências que tem vindo a ser aplicado com base em protocolos e acordos celebrados com as autarquias. O raciocínio-base dos protocolos e acordos é o seguinte: só há alterações à situação actual para melhor”, afirmou.
Correia de Campos falava sobre o encerramento da urgência nocturna do Hospital Arcebispo João Crisóstomo, em Cantanhede, a partir do dia 15. “Entendemos que é melhor ter consultas abertas durante o dia no Hospital de Cantanhede do que ter um serviço de atendimento permanente da 00h00 às 08h00 que funciona com médicos desinseridos da rede. É melhor que as verdadeiras situações de urgência sejam rapidamente transportadas para uma verdadeira urgência”, disse.
Por outro lado, desvalorizou as taxas moderadoras em dívida, considerando que as cobranças no acesso aos cuidados de saúde representam uma parte muito pequena das receitas totais do Serviço Nacional de Saúde (SNS).
“Não é preocupante. A receita das taxas moderadoras representa apenas 0,5 por cento do total de receitas do SNS, o que é muito pouco.”
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)