Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
4

Festa dos tabuleiros já arrancou

Um desfile com mais de 1 800 crianças marcou ontem o arranque oficial da centenária Festa dos Tabuleiros de Tomar, que promete levar milhares de visitantes à cidade ribatejana até ao próximo domingo, 8 de Julho.
2 de Julho de 2007 às 00:00
 O cortejo dos rapazes foi interrompido em 1908 e retomado na edição de 1991
O cortejo dos rapazes foi interrompido em 1908 e retomado na edição de 1991 FOTO: João Pepino
A multidão encheu as ruas da chamada cidade velha, no centro histórico, para ver passar o “cortejo dos rapazes”, que reuniu miúdos de todas as escolas básicas e jardins-de-infância do concelho.
“Este cortejo deixou de realizar-se em 1908, mas a tradição foi retomada desde a edição de 1991”, explicou ao CM Luís Santos, da comissão organizadora.
No total, estiveram envolvidas 1868 crianças, “além dos pais e dos respectivos professores, a quem temos de agradecer pelo seu empenho”, adiantou o responsável. Foram eles quem fizeram os fatos e os tabuleiros, com o material oferecido pela organização.
“A preparação do cortejo começou no início do ano lectivo”, lembra Anabela Oliveira, educadora no jardim-de-infância da Pedreira, que participou com 33 miúdos entre os três e os cinco anos. “Tentámos explicar aos meninos toda a história e os símbolos próprios desta festa”, avançou a educadora, referindo-se aos trajes típicos que as crianças envergavam e aos coloridos tabuleiros, os principais ícones da festa.
“O ritual do cortejo não foi complicado, mas teve que ser muito bem preparado porque eles são muito novos”, continua Anabela Oliveira, dando como exemplo a bênção dos tabuleiros, feita pelo bispo da diocese na Praça da República. Nesta cerimónia, todos os tabuleiros estão no chão e têm que ser levantados ao mesmo tempo, de acordo com as badaladas do sino; o primeiro toque é para preparar, o segundo para levantar e o terceiro para pôr à cabeça.
“Não estou nervoso, estou feliz por participar”, desabafou o irrequieto David França, de 10 anos, aluno da Escola Básica de Santo António, contando que treinou com os colegas na escola e nas ruas, para correr tudo bem.
O seu par foi Milena Zangrandi, que estava mais envergonhada. Foi a mãe quem fez o colorido tabuleiro que a menina de nove anos levou à cabeça, ornamentado com flores e pão. “Deu algum trabalho, mas tive a ajuda de uma senhora com muita experiência nestas festas e fi-lo com muito gosto”, disse ao CM.
OFERTAS CELEBRAM COLHEITAS
As origens da Festa dos Tabuleiros, que se realiza de quatro em quatro anos, não são consensuais, mas pensa-se que misturem rituais pagãos e religiosos. Segundo informações da comissão de festas, as primeiras celebrações foram dedicadas a Ceres, deusa romana das plantas e que simbolizava o amor maternal; os tabuleiros enfeitados com trigo, pão e flores silvestres apontam para a celebração das colheitas.
Na sua vertente religiosa, as festas estão, desde o século XIII, ligadas à rainha Santa Isabel que, segundo reza a lenda, transformou o pão que distribuía aos pobres em rosas, quando o seu marido, D. Dinis, a mandou revelar o que transportava. A cada edição, as celebrações atraem milhares de forasteiros a Tomar. O ponto alto será no próximo domingo, 8 de Julho.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)