Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
7

Fiéis de Algoz “descontentes”

Maria Emília perdeu o filho, de 16 anos, num acidente de viação, no ano passado. Ontem, era uma das largas dezenas de pessoas que esperavam, às 08h30, no cemitério de Algoz, Silves, pela celebração da missa do Dia de Finados. Em vão, pois a missa acabou por decorrer na igreja, causando a indignação da população, que manifestou o seu "descontentamento" num abaixo-assinado que à tarde já contava com 52 nomes.

3 de Novembro de 2010 às 00:30
Sérgio Antão, presidente da junta, está solidário com queixosos. Populares estiveram no cemitério e fizeram abaixo-assinado
Sérgio Antão, presidente da junta, está solidário com queixosos. Populares estiveram no cemitério e fizeram abaixo-assinado FOTO: Roberto Pujales

"O padre tinha dito que se chovesse ou fizesse vento a missa seria na igreja. Mas como o dia amanheceu muito bom, fomos todos para o cemitério", disse Maria Emília ao CM, para quem a atitude do pároco traduz "desrespeito pela tradição local".

Solidário com os queixosos está o presidente da Junta de Freguesia de Algoz: "Havia sol e não fazia vento, e preparámos o altar no cemitério, cuja porta foi aberta às 07h30", disse Sérgio Antão, que "estranha" a decisão do padre.

Contactado pelo CM, o padre Manuel Condeço garantiu ter avisado os fiéis na missa da véspera e referiu que a situação só apanhou de surpresa "quem não foi lá". E disse que, de futuro, a missa "vai ser celebrada na igreja, pois o cemitério não oferece condições".

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)