Filha de vítima de derrocada em praia: “Tive de aprender a viver sem uma mãe”

Sobreviventes contaram, em tribunal, o que viveram antes e depois da derrocada.
Por Tiago Griff|16.03.19
"Tive de aprender a viver sem mãe". Esta foi uma das emocionantes declarações de Jennifer Salazar, 26 anos, filha de Maria Emília, uma das vítimas mortais da derrocada de uma rocha na praia Maria Luísa, Albufeira. O julgamento contra o Estado começou esta sexta-feira no Tribunal Administrativo de Loulé.

A primeira sessão ficou marcada pelos depoimentos de sobreviventes da tragédia, incluindo Vítor Sousa, de 34 anos, que ficou soterrado durante quatro horas e viu morrer a namorada Mariana, a cunhada Rita e os sogros António e Anabela no dia 21 de agosto de 2009.

"Vi uma expressão de impotência na cara do António - pai da namorada - quando as rochas começaram a cair e depois fiquei esmagado contra o chão com rochas por cima. Foram quatro horas de muito sofrimento e sem saber o que tinha acontecido à Mariana e à família dela", recordou Vítor, que tinha uma relação de oito anos com a namorada. As várias fraturas sofridas obrigaram os médicos a reconstruir-lhe o pé, que esteve em risco de ser amputado.

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!