Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
1

Filha descobre corpo de idoso assassinado

Vitorino Guerreiro, 89 anos, encontrado no chão do quarto, agredido e atingido com várias facadas.
Miguel Curado 14 de Março de 2018 às 01:30
Vitorino Guerreiro, de 89 anos, residia no 2º andar deste prédio, nas Olaias
PJ recolheu vestígios no local
Vitorino Guerreiro, de 89 anos, residia no 2º andar deste prédio, nas Olaias
PJ recolheu vestígios no local
Vitorino Guerreiro, de 89 anos, residia no 2º andar deste prédio, nas Olaias
PJ recolheu vestígios no local
Um idoso de 89 anos, que vivia sozinho num apartamento do bairro social Portugal Novo, nas Olaias, em Lisboa, foi esta terça-feira morto à facada no quarto da residência. A vítima foi assassinada momentos depois de ter regressado do café, e o cadáver foi descoberto pela filha, que alertou as autoridades policiais. A PJ investiga.

Vitorino Guerreiro foi visto pela última vez por vizinhos pelas nove da manhã de terça-feira. "Ele estendeu a roupa no estendal em frente à porta de casa, e foi depois ao café, no centro comercial das Olaias", disse ao CM uma vizinha do idoso. O homem de 89 anos terá depois regressado a casa, um 2º andar na rua Wanda Ramos, e já não voltou a sair. A filha, que o visitava com frequência, terá tentado, sem sucesso, entrar em contacto telefónico com o progenitor.

Alarmada, a mulher deslocou-se à residência, da qual tinha a chave, e entrou. Deparou-se com o cadáver de Vitorino Guerreiro, no chão do quarto. Além de sinais de agressão, tinha várias facadas pelo corpo.

Aterrorizada, a filha do idoso chamou a PSP. De imediato acorreram ao local várias patrulhas que, constatando a ocorrência de um homicídio, chamaram a Polícia Judiciária.

Foi criado um perímetro de segurança em redor do imóvel. Pelas 14h00, chegaram ao local vários inspetores da secção de homicídios da Polícia Judiciária. A inspeção forense ao local foi feita por elementos do Laboratório de Polícia Científica.

Ao que o CM apurou não está descartada a hipótese de roubo, seguido de homicídio. No entanto, as fechaduras das portas de casa de Vitorino Guerreiro não estavam forçadas nem, aparentemente, terá sido levado nada de valor. O cenário de o idoso ter aberto a porta de casa ao autor ou autores do crime – que conhecia – ganha consistência. O cadáver foi levado do apartamento pela automaca da PSP, para ser autopsiado no Instituto de Medicina Legal.

PORMENORES
Costumava ir a viagens
Vitorino Guerreiro era conhecido no bairro Portugal Novo. Há mais de 30 anos que residia no bairro social e costumava ir, por vezes, a excursões.

Separado e reformado
O idoso assassinado era separado e estava reformado há muitos anos. Vivia sozinho e recebia visitas frequentes da filha e de outros familiares.

Bairro de realojamento
O bairro Portugal Novo foi construído em 1982, pela Câmara Municipal de Lisboa. Serviu de realojamento a ex-moradores de barracas da zona.
Olaias Vitorino Guerreiro crime morte assassinato assassinado filha corpo facadas agressão
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)