Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
2

Português fingiu ser o irmão durante sete anos para escapar à polícia

Homicida detido em França por crimes cometidos em 2013.
Sérgio Pereira Cardoso e Liliana Rodrigues 6 de Agosto de 2020 às 01:30
Jorge Matos tinha 35 anos
Local onde Valdemar Silva matou um homem a tiro de caçadeira
Jorge Matos tinha 35 anos
Local onde Valdemar Silva matou um homem a tiro de caçadeira
Jorge Matos tinha 35 anos
Local onde Valdemar Silva matou um homem a tiro de caçadeira
Depois de mais de sete anos em fuga e a fazer-se passar pelo irmão, Valdemar Silva ainda tentou ludibriar a polícia francesa ao ser parado numa operação stop. Não resultou. O homem, de 36 anos e suspeito de um homicídio em Viana do Castelo no início de 2013, foi detido e extraditado para Portugal, já com ação da PJ de Braga. Fica na cadeia em prisão preventiva.

O homicídio ocorreu em janeiro de 2013. O arguido, conhecido pela alcunha de ‘Nonó’, começou por esfaquear Márcio Matos, então com 22 anos, numa discussão na cidade de Viana. De seguida, Jorge Matos, irmão mais velho da vítima, foi com outros familiares até Monserrate, à casa do suspeito, e acabou por ser morto a tiro de caçadeira. Tinha 35 anos. 


De seguida, o homicida fugiu para o estrangeiro, mantendo-se entre o Luxemburgo e França, onde tinha família emigrada. Fazia-se passar pelo irmão e assim continuou foragido, embora procurado pelas autoridades, depois de emitido mandado de detenção internacional.

Tal como o CM noticiou, ‘Nonó’ foi apanhado no passado dia 16 de julho, numa operação stop em Longlaville, próximo da fronteira com o Luxemburgo. Voltou a dar o nome do irmão, mas, através da partilha de informação internacional, foi confirmada a verdadeira identidade.

Valdemar chegou a ser acusado dos crimes de homicídio e ofensa à integridade física, mas o julgamento não avançou já porque não foi possível notificar o arguido e havia ainda mandados de detenção pendentes.
Ver comentários