Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
7

Fogo em oficina mata operário

Um homem de 61 anos morreu ontem, ao início da tarde,na sequência de uma explosão na oficina do stand multimarcas M.Coutinho, em S. Bernardo, Aveiro. António Costa Correia Azevedo, residente em Rio Tinto, Gondomar, trabalhava na equipa de manutenção e procedia a trabalhos numa "plataforma" na casa dos óleos quando se deu o acidente, que está a ser investigado pela PJ de Aveiro.
24 de Outubro de 2008 às 00:30
Apesar do esforço dos colegas e do rápido socorro, António Azevedo não resistiu às graves queimaduras
Apesar do esforço dos colegas e do rápido socorro, António Azevedo não resistiu às graves queimaduras FOTO: DIREITOS RESERVADOS

Eram 13h50 quando um colega de trabalho se apercebeu de uma faísca e um clarão, que antecederam a explosão. Cá fora os vizinhos apenas ouviram um grande estrondo, 'semelhante ao rebentamento de uma bomba'.

A vítima foi projectada ao solo, para uma zona da estação de serviço, ficando envolta nos óleos, que se inflamaram de imediato. 'Parecia uma tocha humana. Queríamos chegar perto dele mas não conseguíamos', desabafou um dos funcionários, sem esconder a comoção. Apesar da dificuldade, foram os colegas que acabaram por abafar as chamas com panos ainda antes da chegada dos bombeiros.

Apesar de o socorro ter demorado apenas três minutos, foram ainda os colegas que transportaram a vítima até à entrada da oficina, onde os bombeiros e uma equipamédicadoINEMdo Hospital Infante D. Pedro efectuaram manobras de reanimação e suporte básico de vida. Mas sem sucesso, já que o homem chegou sem vida ao Hospital de Aveiro.

As chamas propagaram-se às traseiras da oficina, onde estavam vários automóveis e peças. Três dos carros arderam por completo e um parcialmente. Em comunicado, a administração da Autoglobalsa – empresa recentemente adquirida pelo grupo M.Coutinho – diz-se perplexa com o acidente e aguarda o desfecho das averiguações da Polícia Judiciária. Acrescenta que 'é grande a estranheza, já que todas as normas de higiene e segurança no trabalho foram sempre cumpridas'.

OUTROS DADOS

ELECTRICIDADE

Os bombeiros presumem que o homem estivesse a fazer uma reparação na rede eléctrica, tendo algo corrido mal, a ponto de atingir os óleos e provocar a explosão, seguida de incêndio.

DOIS FERIDOS

Enquanto os bombeiros combatiam as chamas e socorriam a vítima, alguns funcionários tentavam desesperadamente retirar os carros do stand. Dois deles tiveram de receber tratamento a ferimentos ligeiros.

35 HOMENS

As duas corporações de Aveiro, Bombeiros Novos e Bombeiros Velhos, deslocaram para o sinistro 35 homens e dez viaturas. A prioridade foi socorrer a vítima e evitar a propagação das chamas.

Ver comentários