Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
1

Força a mulher a andar de trela

Vítima tinha de andar nua, de gatas, tratada como um cão.
Miguel Curado 13 de Julho de 2016 às 01:45
Vítima tinha de andar nua.
Vítima tinha de andar nua. FOTO: Ricardo Cabral
Durante quase dois anos, um pintor de 62 anos, que se chamava a si próprio Mohamed Abdulah, humilhou a mulher dentro da casa do casal, na Cruz de Pau, Seixal. A vítima era obrigada a andar nua e a imitar uma cadela com uma trela metálica presa ao pescoço.

Só a 10 de setembro de 2015, conforme o CM noticiou na altura, é que a mulher conseguiu escapar às humilhações e torturas do marido, e denunciar o caso numa esquadra da PSP. A vítima tinha acabado de ser mutilada com um punhal na vagina, apresentando escoriações em todo o corpo e palavras ofensivas escritas no corpo, às mãos do agressor. Mohamed Abdulah fugiu quando soube que ia ser denunciado pela mulher, entregando-se dois dias depois às autoridades. Depois de presente a um juiz de instrução, ficou em prisão preventiva a aguardar pelo julgamento.

Está agora a ser julgado no tribunal do Seixal pelos crimes de violência doméstica, violação, gravações e fotografias ilícitas, e ainda posse de arma proibida. Segundo a acusação do Ministério Público, o pintor sujeitou a própria companheira, entre o mês de outubro de 2013 e a data da sua prisão, a várias sevícias.

Além de fazer a mulher andar de gatas com trela, insultava-a com expressões como "Queres cagar? Levo-te ao jardim."

A vítima era ainda obrigada pelo marido a escrever no corpo com uma caneta: "Sou uma p*ta, e f**o com todos!". Foram dois anos de sujeição a crimes graves entre quatro paredes, que podem agora levar à condenação do agressor a uma pena pesada.
Mohamed Abdulah Seixal Ministério Público questões sociais crime lei e justiça mulher trela
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)