Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
3

Formação fica igual

Após vários meses de reuniões, o grupo de trabalho criado pelo Ministério da Administração Interna (MAI) para a uniformização de currículos nos cursos de formação da PSP e da GNR já produziu resultados. Assim, já em 2009, os futuros agentes e guardas terão, em comum, 1050 horas de formação, com a GNR a precisar de 150 horas extras devido à sua condição militar.

9 de Junho de 2008 às 00:30
Nos cursos de formação a iniciar em 2009, os futuros agentes da PSP e militares da GNR terão 1050 horas de formação curricular em comum
Nos cursos de formação a iniciar em 2009, os futuros agentes da PSP e militares da GNR terão 1050 horas de formação curricular em comum FOTO: João Miguel Rodrigues

Mal tomou posse no ministério da Administração Interna, António Costa – o anterior ministro – anunciou a vontade do Governo em tornar comum a formação na GNR e na PSP. Para o efeito, as direcções da Escola Prática da Guarda, da Escola da Polícia, assim como elementos da Inspecção-Geral da Administração Interna (IGAI)juntaram-se num grupo de trabalho.

Os currículos dos cursos de guardas e de agentes, ministrados respectivamente em Queluz e Torres Novas, serão uniformes. Para já sabe-se que ambos terão 1050 horas de tempo efectivo de aulas. Pretende-se que os futuros polícias partilhem conhecimentos teóricos e práticos.

Para que seja possível harmonizar o ensino já em 2009, o Governo determinou a constituição, em cada força de segurança, de grupos de trabalho por especialidade.

O objectivo é que, nos próximos meses, PSP e GNR possam sentar--se à mesma mesa e acertar posições em áreas como a prática de tiro ou técnicas de manutenção de ordem pública.

AQUISIÇÃO DE COLDRES ATRASA NOVAS GLOCK 19

Falta regularizar o concurso público para a aquisição de coldres para que as novas pistolas Glock 19, calibre 9 mm, entrem em funções na GNR e na PSP.No entanto, os alunos dos mais recentes cursos de formação tiveram já oportunidade de treinar tiro com esta arma. E o desejo do Governo e das chefias de ambas as forças de segurança é que assim continue.

"O objectivo é dar uma Glock 19 a um polícia ou guarda em formação e que este a mantenha até ao fim da carreira profissional", explicou ao CM fonte ligada ao processo. Nas 1050 horas de formação conjunta que os cursos de 2009 irão ter existirá uma componente teórica e prática de tiro. A GNR, devido à condição militar, terá 150 horas extras de formação, onde os futuros guardas aprenderão a usar armas características da função da GNR.

GNR REACTIVA PROVA DE TIRO

Ao fim de cinco anos de ausência, o Comando-Geral da GNR trouxe de volta o campeonato de tiro. Oitenta e cinco atiradores, de todas as unidades do dispositivo da GNR, inscreveram-se para a prova, que decorreu no Complexo do Jamor, em Oeiras. "Para reunir os melhores, fizemos provas de selecção e conseguimos que se inscrevessem 37 militares em pistola e 35 em carabina", disse ao CM o major Silva Vieira, director do Núcleo de Tiro da Escola da Guarda. Para o futuro,à semelhança do que aconteceu este ano, a prova será disputada com munições de calibre .22, usado na formação da GNR.

PORMENORES

DISCIPLINAS

PSP e GNR têm em actividade vários grupos de trabalho. As reuniões serão depois conjuntas, esperando-se a definição da carga horária dos cursos.

TIRO

Homogeneizar calibres, formação teórica e prática e definir critérios para actualização de tiro. São estas as prioridades dos oficiais da PSP e GNR que se vão reunir para falar desta área.

CURSOS

No segundo semestre de 2008 começarão cursos extraordinários de formação de agentes da PSP e GNR. Dois mil novos elementos estarão formados em 2009.

 

Ver comentários