Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
3

Fugiu do instituto por amor

Um grupo de cinco jovens, com idades entre os 13 e os 16, fugiu do Instituto Monsenhor Airosa, em Braga, e esteve alojado durante três dias em casa da família de um rapaz que se apaixonou por uma das meninas. O amor foi tão forte que Filipa, uma das menores, acompanhada de uma amiga, fugiu uma segunda vez para se encontrar com Miguel, de 15 anos. Das duas vezes a PSP recolheu-as e levou-as para a instituição.
24 de Outubro de 2009 às 00:30
Carla Barria está preocupada com a paixão do filho, Miguel, de 15 anos
Carla Barria está preocupada com a paixão do filho, Miguel, de 15 anos FOTO: PEDRO LUÍS SILVA

A mãe do jovem que recebeu as raparigas contou ao CM a experiência: 'Na semana passada, o meu filho chegou cá a casa a dizer que tinha encontrado um grupo de meninas no parque e que elas não tinham onde ficar. Elas contaram--me que eram de Lisboa e que vinham a Braga em passeio, mas que tinham ficado sem dinheiro', disse Carla Barria, de 43 anos. 'O meu coração de mãe não me deixou recusar tecto às miúdas. Tinha medo de que algo lhes acontecesse. Depois o meu filho apaixonou-se por uma delas, e o caso complicou-se', justificou Carla, que desde o início achou estranha a história.

As menores disseram que tinham estado alojadas no Hotel Carandá, mas Carla confirmou que tal era mentira. No dia seguinte a versão foi desmascarada. 'Passou por nós um carro da PSP e elas ficaram assustadas. Levei-as para um quarto lá em casa e obriguei-as a contar a verdade', disse.

Nessa altura viu-se na obrigação de chamar a polícia, e as menores foram devolvidas à instituição. Mas este revés não foi suficiente para desmotivar Filipa, de 14 anos, que dois dias depois voltou a fugir. A paixão por Miguel foi a sua motivação maior.

'Ao sabermos do que aconteceu ficámos preocupados e tentámos saber onde estavam. O meu filho encontrou-as e trouxe-as outra vez para casa. Fiquei com pena, mas tive de chamar os agentes novamente, e elas saíram daqui a chorar', confessou a mãe.

O Instituto Monsenhor Airosa confirmou o caso ao Correio da Manhã, mas não quis prestar quaisquer comentários sobre o assunto.

PORMENORES

INSTITUTO

O Instituto Monsenhor Airosa acolhe jovens de todo o País em situação de carência sóciofamiliar e também adultas sem retaguarda e portadoras de deficiências. Dispõe igualmente de um lar para idosas.

SOFRIMENTO

Carla está preocupada com o filho, que passa os dias a chorar desde que está separado da jovem. 'Sei que é uma situação complicada, mas acho que o deviam deixar ver a menina, até para que ela se acalme e não fuja mais do colégio', disse a mulher.

SUBIU O MURO

Miguel não aguenta a distância e esta semana subiu o muro do instituto e tentou falar com Filipa. No entanto, a menina estava emocionalmente muito abalada e mal conseguiu falar. Só dizia que estava com muitas saudades.

PAIS PREOCUPADOS

As meninas disseram a Carla Barria que não devia ligar aos seus pais, porque eles iriam ficar preocupados se o fizesse.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)