Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
7

Fuzileiros suspeitos de agressão brutal a PSP em Lisboa estão retidos na base do Alfeite em Almada

Tratam-se de dois praças em regime de contrato, tendo pelo menos um deles realizado missões da NATO no estrangeiro.
Sérgio A. Vitorino 20 de Março de 2022 às 13:21
A carregar o vídeo ...
Fuzileiros suspeitos de agressão brutal a PSP em Lisboa estão retidos na base do Alfeite em Almada

Os dois militares dos Fuzileiros suspeitos de terem estado envolvidos nos desacatos nos quais o agente da PSP Fábio Guerra, de 26 anos, ficou em coma, encontrando-se a lutar pela vida no hospital, estão neste momento retidos na Base de Fuzileiros, no Alfeite, Almada, por iniciativa da Marinha.

O CM sabe que, assim que a identidade dos suspeitos foi conhecida, o comando do Corpo de Fuzileiros – unidade de elite da Armada - tomou a iniciativa de os chamar à base e reteve-os. Estão à disposição da Polícia Judiciária, que os deverá interrogar e eventualmente deter. Há ainda dúvidas sobre se terão sido eles a agredir o agente Fábio Guerra. Esses golpes, que ditaram os ferimentos críticos, podem ter sido infligidos por um terceiro agressor, civil.

Segundo apurou o CM, tratam-se de dois praças em regime de contrato, tendo pelo menos um deles realizado missões da NATO no estrangeiro.

Tal como noticiamos este domingo, estão ligados a ginásios de boxe (um foi mesmo campeão nacional na sua categoria) do concelho de Sesimbra.

Fábio Guerra e três outros colegas da esquadra de Alfragide (Amadora) divertiam-se na discoteca Mome, em Lisboa, e à saída depararam-se com uma desordem. Ao intervirem foram agredidos.

Ver comentários
C-Studio