Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
3

Gang do Pecas vai a julgamento

O julgamento do chamado gang do Pecas acaba de ser marcado, começando dentro de três meses. Na barra do Tribunal Judicial de Portimão vão sentar-se sete arguidos, acusados de vários crimes.
18 de Junho de 2007 às 00:00
Gang do Pecas vai a julgamento
Gang do Pecas vai a julgamento FOTO: José Carlos Campos
Dois deles respondem pelo assassinato, a tiro de caçadeira, do chefe Martins da PSP de Lagos, no dia 11 de Dezembro de 2005, arriscando uma pena de 25 anos de cadeia.
A viúva do chefe Martins, Maria da Conceição, disse ontem ao CM que espera que “seja feita justiça e que apanhem a pena máxima”, mas lamentou que não respondam todos os elementos do gang pelo crime de homicídio na forma consumada.
Segundo apurou o Correio da Manhã, as partes envolvidas no processo foram notificadas no final da passada semana de que o julgamento tem início no dia 19 de Setembro, pelas 09h30, em Portimão. E já está também definida a data para a continuação da audiência: dia 26 do mesmo mês.
O julgamento havia estado anteriormente marcado para Março, mas foi adiado por a viúva de chefe Martins, que se constituiu assistente no processo, ter requerido a abertura da instrução. A medida tinha como objectivo que todos os sete arguidos e não apenas dois – o alegado atirador e o líder do gang – fossem acusados de homicídio qualificado na forma consumada. Mas o Tribunal decidiu, em 20 de Abril, não aceitar tal pretensão.
VÁRIOS CRIMES
Os arguidos são acusados de crimes de furto, falsificação, posse de arma proibida e homicídio na forma tentada – que será relativo ao tiroteio com um elemento da GNR à civil que surpreendeu o gang a assaltar a caixa multibanco do supermercado Ecomarché, em Budens, concelho de Vila do Bispo.
Desses sete, dois – o presumível atirador, Florentino Soares e o alegado líder do gang Augusto Soares dos Anjos (Pecas) – responderão ainda pelo homicídio qualificado na forma consumada do chefe Martins.
O polícia foi morto, com um tiro na cabeça, na rotunda do nó de acesso de Lagos à Via do Infante, quando se encontrava a comandar uma barreira de estrada da PSP, que procurava travar os assaltantes em fuga – os quais seguiam em duas viaturas.
CAÇA AO HOMEM
O crime originou uma enorme operação de caça ao homem em Portugal e Espanha, dado que o gang teria o seu quartel-general no acampamento de El Vacie, próximo de Sevilha. Os alegados assaltantes acabaram por ser detidos, algum tempo depois, pela Polícia Judiciária – através da Directoria de Faro e do Departamento de Investigação Criminal de Portimão - com a colaboração das autoridades espanholas, designadamente o Corpo Nacional de Polícia.
Alguns elementos do grupo, incluindo o seu alegado líder, Pecas, são suspeitos da prática de crimes em Espanha, pelo que têm estado detidos naquele País. O gang terá sido responsável por vários assaltos a caixas multibanco no Algarve.
MORTO EM SERVIÇO
O chefe Sérgio Martins, de 49 anos, foi morto à queima-roupa próximo de Lagos. Natural das Caldas da Rainha, o polícia tinha servido no Grupo de Operações Especiais da PSP, mas um acidente de moto obrigou a abandonar este corpo especial. Instalara--se em Lagos, com a família, havia já 11 anos. Deixou mulher e dois filhos, Gonçalo, então com 22 anos, e André, que tinha 11 .
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)