Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
6

Gastos em armas

Na edição de 22 de Outubro de 2006, o Correio da Manhã publicou uma notícia sob o título "GNR – meio milhão gasto em armas inúteis", na qual imputava ao comandante-geral da GNR, o tenente-general Carlos Manuel Mourato Nunes responsabilidades no âmbito da aquisição de armas no valor de 500 00,00 euros.

10 de Maio de 2009 às 00:30
Gastos em armas
Gastos em armas FOTO: Jorge Godinho

Ao contrário do que se adiantou aquando da publicação da notícia, com base em elementos que nos foram fornecidos, confirmamos que a mesma continha inverdades e incorrecções no que toca à participação do tenente-general Carlos Manuel Mourato Nunes na aquisição das ditas armas.

De facto, foram levantadas suspeitas injustas e passíveis de afectar a sua imagem que se pretende aqui esclarecer.

A verdade é que o tenente-general foi totalmente alheio à aquisição das armas, tendo a mesma ocorrido em momento prévio à sua nomeação como comandante-geral da GNR, não lhe podendo, assim, ser imputada qualquer tipo de responsabilidade.

Por tal facto apresentamos as nossas mais sinceras desculpas ao tenente-general Mourato Nunes, bem como à sua família e amigos que se possam ter visto afectados com as nossas declarações.

PERFIL

O tenente-general Carlos Manuel Mourato Nunes comandou a GNR entre 2003 e 2008. Serviu em três comissões nos antigos territórios portugueses em África. Foi professor na Academia Militar. Serviu nas Tropas Comandos, durante mais de uma década. Foi director do Instituto Geográfico do Exército; presidente do Instituto Geográfico Português; e, ainda, presidente do Conselho Coordenador de Cartografia. Foi chefe do Gabinete do Chefe do Estado-Maior do Exército e chefe do Estado-Maior da Guarda.

Presentemente, é o secretário-geral do Secretariado para a Cooperação entre os Países de Língua Portuguesa em Matéria de Segurança Pública.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)