Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal

GNR de Vila Real corta A4 para questionar motivo da viagem e sensibilizar condutores

Carros que viajaram sentido Vila Real - Porto foram desviados para o nó da Campeã e mandados parar.
Lusa 5 de Abril de 2020 às 18:04
GNR em operação na A4
GNR em operação na A4
GNR em operação na A4
GNR em operação na A4
GNR em operação na A4
GNR em operação na A4
GNR em operação na A4
GNR em operação na A4
GNR em operação na A4
GNR em operação na A4
GNR em operação na A4
GNR em operação na A4
A GNR cortou este domingo a Autoestrada 4 (A4), na zona de Vila Real, para questionar os automobilistas sobre o motivo da viagem e alertar para o dever de recolhimento, numa altura em que verifica uma "redução drástica" no trânsito.

"O grande objetivo neste momento é sensibilizar as pessoas", afirmou o capitão Micael Lopes, comandante do Destacamento de Trânsito da GNR de Vila Real.

Durante a tarde, todos os carros que viajaram na A4, sentido Vila Real - Porto, foram desviados para o nó da Campeã e mandados parar. Aos automobilistas foi perguntado o motivo da viagem.

João Preguiça seguia de Murça para Celorico de Basto, por causa de "uma emergência" relacionada com uma inundação numa loja.

José Ribeiro regressava a Santo Tirso depois de ter ido a Miranda do Douro cuidar dos animais que tem numa quinta.

Por sua vez, Bruno Vidal foi de Mirandela ao Porto levar mantimentos à mãe, que "não pode sair de casa".

A um septuagenário, um dos militares da GNR insistiu na mensagem de que devia permanecer em casa e não andar em deslocações.

"O grande objetivo é sensibilizar as pessoas para o dever geral de recolhimento, o dever especial de proteção e avisá-las também de que, a partir do dia 09 e até ao dia 13 de abril, terão de permanecer no concelho e de trazer uma justificação para circular", sustentou Micael Lopes.

Segundo adiantou, as pessoas que "foram fiscalizadas tinham motivos para fazer a circulação".

"Por parte do Destacamento de Trânsito não houve nenhuma detenção. Todas as pessoas que detetamos, que não estavam a cumprir o dever geral de recolhimento ou o dever especial de proteção, acataram a indicação de regressar a casa e não houve detenção ou desobediência", frisou.

O capitão destacou que o "trânsito reduziu drasticamente", o que considerou ser um "bom sinal", porque significa que as pessoas estão a cumprir as recomendações do estado de emergência".

Aos domingos, segundo explicou, neste ponto da A4, o trânsito costuma ser muito superior, porque muitas pessoas estariam a regressar à zona do Porto depois de uma visita ao Interior.

No domingo anterior a redução foi na "ordem dos 70%" comparativamente com o verificado no mesmo dia, antes de decretado o estado de emergência.

Este domingo, a GNR está a realizar ações na A4 e também na A24, na zona de Constantim, decorrendo ainda operações aleatórias em vários pontos do distrito.

Enquanto o estado de emergência se mantiver, a GNR irá manter estas operações, intensificando-as na altura da Páscoa.

O decreto-lei que regulamenta a prorrogação do estado de emergência proíbe deslocações para fora do concelho de residência no período da Páscoa, entre 09 e 13 de abril.

Além da medida de confinamento dos cidadãos aos seus concelhos de residência, o Governo limita também a duas pessoas a capacidade de transporte em veículos ligeiros para cinco lugares, exceção feita a familiares diretos.

Um veículo com nove lugares, por exemplo, só poderá transportar três pessoas.

Portugal regista este domingo 295 mortes associadas à covid-19, mais 29 do que no sábado, e 11.278 infetados (mais 754), segundo o boletim epidemiológico divulgado pela Direção-Geral da Saúde (DGS).

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)