Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
3

GNR detém vândalo

O suspeito da onda de vandalismo que varreu o cemitério paroquial de Âncora, Caminha, na noite de sábado para domingo, já foi detido pela GNR em Moledo, ao final da tarde de domingo, anunciou ontem aquela força de segurança.
17 de Outubro de 2006 às 00:11
Trata-se de um indivíduo de 31 anos, de nacionalidade uruguaia e a quem o Tribunal determinou a prisão preventiva.
O suspeito, com residência em Espanha, foi detido inicialmente com um veículo que tinha roubado pouco tempo antes e acabou por confessar aos militares da Guarda os actos de vandalismo que praticara no cemitério de Âncora.
Alegou que actuara sozinho e “por desígnios de seres naturais com quem mantinha contactos”. O suficiente para o próprio Tribunal determinar que lhe seja dado apoio psiquiátrico.
No entanto, o vandalismo ao cemitério não é o único acto desta natureza que praticou e o energúmeno foi reconhecido também pelos vigilantes de uma pedreira perto do local, onde destruiu máquinas de sandes e de café, um camião e o comando de uma serra de pedra.
O cemitério de Âncora, como o CM ontem noticiou, foi profanado e vandalizado na noite de sábado para domingo, tendo aparecido 204 sepulturas destruídas, o que deixou chocada a população local, tendo o pároco da localidade, Fernando Loureiro, classificado o acto de “do mais puro e vil terrorismo”.
Há cerca de 15 dias foi registada uma ocorrência idêntica em Vigo, Espanha.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)