Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
4

GNR dispara oito tiros para travar confronto

Pancadaria, agressões a militares da GNR que tentavam travar a violência, gritos e tiros à mistura. Tudo aconteceu na noite de sexta-feira para sábado, numa rua em Celorico da Beira, quando um grupo de vendedores ambulantes se envolveu em confrontos com a GNR – que terminaram com três dos intervenientes detidos e um quarto elemento ferido por ter partido a murro os vidros das portas de prédios e estabelecimentos.
6 de Março de 2011 às 00:30
Funcionários do bar limparam os vidros das portas partidas a murro por um dos suspeitos
Funcionários do bar limparam os vidros das portas partidas a murro por um dos suspeitos FOTO: Ricardo Almeida

A cena de pancadaria terá tido origem numa discussão dentro de um bar, pelas 22h30, e só depois da 01h00 é que os ânimos serenaram, quando a GNR disparou oito tiros para o ar. "A confusão foi armada por um grupo de quatro que já estavam bem quentes [alcoolizados]", explica José Ramos, proprietário do estabelecimento.

"Começaram a levantar cadeiras e mesas e a partir daí foi a confusão total", acrescenta ao CM José Pacheco, cliente do bar, que ainda tentou acalmar as hostes, mas foi ameaçado de morte. Já no exterior "houve murros, pontapés e cabeçadas", descreve um morador.

O grupo que causou os desacatos pediu ajuda a familiares, que acorreram ao local e "cortaram a rua com as carrinhas". Segundo a população, "eram mais de 50, entre mulheres e crianças". A patrulha da GNR não conseguiu pôr fim aos confrontos e foi necessário pedir reforços aos postos vizinhos. Até as patrulhas de trânsito destacadas para a A25 e os efectivos que faziam uma operação de controlo fiscal e aduaneiro foram mobilizados, confirma o comandante da GNR da Guarda, Monteiro Antunes.

CELORICO DA BEIRA GNR TIROS PANCADARIA AGRESSÕES RIXA
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)