Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
6

GNR doa material para desactivação de engenhos explosivos a Timor-Leste

A Guarda Nacional Republicana (GNR) doou esta sexta-feira à Polícia Nacional de Timor-Leste material para desactivação de engenhos explosivos, nomeadamente fatos de protecção, escudos balísticos, mantas anti bomba, kits de espelhos, raio x com películas, geradores e material electrónico.
30 de Novembro de 2012 às 09:56
Militar da GNR com facto protector para desactivação de explosivos
Militar da GNR com facto protector para desactivação de explosivos FOTO: Carlos Manuel Martins

O material foi entregue pelo tenente-general Luís Newton Parreira durante uma cerimónia que decorreu em Díli, no antigo quartel do subagrupamento Bravo da GNR, que esteve destacado no país no âmbito da Missão Integrada da ONU para Timor-Leste.

"Este foi o equipamento que foi utilizado e continua a ser utilizado no território de Timor-Leste para fazer a desminagem de todos os explosivos encontrados ao longo deste território martirizado por anos de guerra", afirmou o tenente-general português.

Segundo o comandante-geral da GNR, o equipamento oferecido à Polícia Nacional de Timor-Leste vai permitir que a equipa de desactivação de engenhos explosivos continue a desenvolver o seu trabalho.

"Esta ajuda é muito importante, porque temos a unidade especial, mas não tínhamos o equipamento para fazer o trabalho. Espero que os nossos elementos o utilizem para fazer o melhor trabalho", afirmou o vice-comandante geral da Polícia Nacional de Timor-Leste, Afonso Jesus.

A equipa de desactivação de engenhos explosivos da Polícia Nacional de Timor-Leste foi formada em Lisboa pela GNR.

Durante a sua presença em Timor-Leste, a GNR foi responsável pela desactivação de milhares de engenhos explosivos encontrados em todo o território num total de 676 intervenções.

O comandante-geral da GNR, que regressa no sábado a Portugal, esteve em Timor-Leste a participar na reunião do Conselho de Chefes da Polícia da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), que decorreu entre segunda-feira e quinta-feira em Díli.

A GNR foi para Timor-Leste em 2000, mas o primeiro contingente do subagrupamento Bravo foi destacado em Junho de 2006, na sequência de um pedido das autoridades timorenses por causa da crise política e militar.

A GNR terminou a actividade operacional autorizada pela ONU em território timorense a 31 de Outubro e os 140 elementos que estavam então destacados no território já regressaram a Portugal.

GNR engenhos explosivos Timor-Leste polícia tenente-general Luís Newton Parreira
Ver comentários