Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
1

GNR FICA SEM CAÇAR

Um soldado da Brigada Fiscal da GNR, que na quinta-feira da passada semana foi detido por caçar ilegalmente perto de Monforte, foi ontem condenado pelo Tribunal de Portalegre ao pagamento de uma multa de 450 euros e à interdição de caçar nos próximos três anos.
17 de Outubro de 2003 às 00:00
Durante a leitura da sentença, que teve início às 10h00, o tribunal decidiu ainda reverter a favor do Estado os cartuchos e a espingarda que o militar transportava aquando da sua detenção.
O soldado, actualmente a exercer funções no Comando da Brigada Fiscal em Lisboa, foi detido por uma patrulha da GNR num local proibido à prática da actividade cinegética e durante a noite. Na sua posse tinha dois coelhos.
Fonte da Brigada Fiscal indicou ao Correio da Manhã que no dia em que foi detido se encontrava a gozar um período de férias e confirmou que após o comando ter tido conhecimento do caso foi-lhe instaurado um processo disciplinar.
Embora tenha considerado a pena “um pouco pesada”, o secretário-geral da Federação Nacional de Caçadores e Proprietários, Eduardo Biscaia, não deixou também de mostrar a sua satisfação pelo facto de o resultado desta sentença “ser um aviso” para os caçadores furtivos.
“Agora começam a pensar duas vezes, porque, além da proibição de caçar, têm que tirar novamente a carta de caçador, o que leva cerca de um ano. As penas devem ser pesadas para aqueles que fazem da caça furtiva um negócio, designadamente para os que vendem a caça em restaurantes”, sublinhou o dirigente associativo.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)