GNR nega recebimento indevido de vantagem e abuso de poder

Sargento é suspeito de ter usado em proveito próprio uma viatura pertencente a uma empresa de Águeda.
Por Lusa|13.03.18
Um sargento da GNR de 42 anos suspeito de ter usado em proveito próprio uma viatura pertencente a uma empresa de Águeda, negou esta terça-feira as acusações, no Tribunal de Aveiro.

"Tenho a consciência que não cometi nenhum crime", disse o arguido na primeira sessão do julgamento, afirmando ter comprado a referida viatura pelo valor de 18 mil euros, num negócio "claro, normal".

O militar, que exerce atualmente funções como comandante do posto da GNR de Bustos, em Oliveira do Bairro, está acusado de um crime de recebimento indevido de vantagem e outro de abuso de poder.

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!