Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
5

Golpe rende meio milhão em ouro

Um armazém de um casal de ourives foi passado a pente fino por ladrões, ontem de madrugada, em Aguiar, Jovim, Gondomar. Os assaltantes levaram cerca de 500 mil euros em ouro sem que ninguém se apercebesse. Os proprietários admitem abandonar o negócio.
18 de Fevereiro de 2011 às 00:30
Armazém fica numa casa desabitada
Armazém fica numa casa desabitada FOTO: Pedro Lourenço Ferreira

O armazém situa--se numa casa actualmente desabitada, na rua Nossa Senhora dos Remédios, e nem tem publicidade à porta, passando completamente despercebido. No entanto, os ladrões pareciam conhecer muito bem o espaço. Aproveitaram o facto de ser noite e de não haver vizinhos para atacar. Primeiro evitaram as câmaras de videovigilância, colocadas no rés-do--chão e direccionadas para a rua, ao entrarem pelo terraço. Foram directos ao alarme e conseguiram silenciá-lo dentro de uma lata com água.

Os suspeitos, que as autoridades acreditam serem vários, arrombaram a porta do armazém e fizeram uma autêntica razia. "Nem um grama de ouro deixaram!", lamentou um funcionário. Para além de terem apanhado todos os artigos em ouro, decidiram atacar a caixa--forte. Usaram uma broca para conseguir abrir a porta espessa do cofre e retiraram tudo. "Eles devem ter tido tempo de andar a descarregar tudo, porque até usaram um balde onde se lava o ouro", contou o mesmo funcionário.

Os ladrões conseguiram tirar tudo e fugir sem que ninguém desse conta. Só às 08h00, altura em que os funcionários chegaram ao armazém, é que se aperceberam do roubo.

O armazém já existe há mais de três décadas, mas o casal proprietário admite agora abandonar o negócio. "Já falavam em fechar antes, mas depois disto... Eu trabalho aqui há 34 anos, mas também estou farto de ser ourives", desabafou o empregado.

Ontem, ainda não havia suspeitos do roubo. "Mas devem ser pessoas que conhecem isto muito bem", atirou o empregado.

A PSP de Gondomar foi ontem de manhã ao local e está a investigar o caso.

EQUIPAS DIRECCIONAM PATRULHAS

As Equipas de Reacção Táctica (ERT) concebidas pelo secretário--geral do Sistema de Segurança Interna, Mário Mendes, para conter os assaltos a ourivesarias, estão no terreno desde o início deste ano. As brigadas, constituídas por elementos da PSP, GNR e Polícia Judiciária, têm como missão recolher informações nos locais de maior índice de assaltos a ourivesarias, para depois direccionar as patrulhas. Este trabalho incide mais nas zonas de Lisboa, Porto e Setúbal.

DUPLA COM CAPACETES ASSALTA LOJA

Dois ladrões com as caras cobertas por capacetes assaltaram ontem de manhã a loja da cadeia Valores (compra e venda de ouro) na praça do Bocage, em pleno centro da cidade de Setúbal. A dupla estacionou uma moto nas imediações do estabelecimento e entrou na loja em passo apressado. O ataque ocorreu pelas 10h00, quando no interior da Valores estava apenas uma funcionária. Coagida sob ameaças de agressão, a vítima foi forçada a entregar uma quantia

em dinheiro. Fonte oficial da PSP contactada pelo CM não quis precisar a verba desviada pelos dois ladrões. Os assaltantes escaparam na mesma moto, de elevada potência, e encontram-se a monte.

A PSP de Setúbal investiga.

DOIS ASSALTOS A CADA TRÊS DIAS EM 2011

Os números não deixam margem para dúvidas: desde 1 de Janeiro houve dois assaltos a ourives a cada três dias. A área mais fustigada é a zona Norte do País. O distrito do Porto é o que tem mais ocorrências.

No total há registo de 34 assaltos a profissionais do sector da ourivesaria e do comércio de ouro. Desde o início do ano que tem havido crimes quase todos os dias.

De acordo com profissionais do sector, grande parte do ouro roubado nas ourivesarias portuguesas pode ser encontrado poucos dias depois exposto em montras da Roménia, à venda. A garantia foi dada por António Santos, presidente da Associação Nacional de Ourives e Relojoeiros, que já em Novembro veio a público pedir uma intervenção mais eficaz por parte do Estado. O Correio da Manhã tentou ontem falar com o responsável, mas este não esteve disponível para esclarecimentos.

Para o aumento dos roubos de ouro tem contribuído também a valorização do metal precioso nos mercados internacionais.

Segundo os dados da Gold.org, instituição que estabelece as cotações, o preço de um grama de ouro custava 9,7 euros no ano 2000. Actualmente, a mesma quantidade é paga a mais de 31 euros. Ou seja, o valor do ouro mais do que triplicou nos últimos dez anos, e consequentemente também o apetite dos ladrões.

ASSALTO ROUBO GONDOMAR
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)