Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
6

Governo cria visto para empreendedores que abram empresas inovadoras em Portugal

Medida vai ser formalmente lançada na terça-feira na Web Summit, que começa esta segunda-feira em Lisboa.
Lusa 6 de Novembro de 2017 às 13:36
Manuel Caldeira Cabral
Manuel Caldeira Cabral
Manuel Caldeira Cabral
Manuel Caldeira Cabral
Manuel Caldeira Cabral
Manuel Caldeira Cabral
Manuel Caldeira Cabral
Manuel Caldeira Cabral
Manuel Caldeira Cabral

Os empreendedores que queiram abrir uma empresa inovadora vão poder, a partir de janeiro do próximo ano, aceder de forma rápida a um visto de residência em Portugal, permitindo-lhes criar ou mover a sua empresa para o país.

O Ministério da Economia anunciou esta segunda-feira em comunicado a criação do 'Startup Visa', "um visto de residência para empreendedores, que pretende atrair para Portugal investimento, talento e capacidade de inovação", indicando que esta medida vai ser formalmente lançada na terça-feira na Web Summit, que começa esta segunda-feira em Lisboa.

Assim, a partir de 1 de janeiro de 2018, os "jovens empreendedores de todo o mundo que queiram abrir uma empresa inovadora vão ter acesso rápido a um visto de residência que lhes permite criar ou mover a startup para Portugal", podendo também "integrar uma incubadora da rede Startup Portugal e beneficiar de todos os incentivos e apoios do Programa Startup Portugal".

Os empreendedores de estados terceiros poderão candidatar-se online através de uma plataforma que ficará "disponível a partir de janeiro de 2018".

Para acederem ao Startup Visa, terão de demonstrar que "querem desenvolver atividades empresariais de produção de bens e serviços inovadores", que "vão abrir ou deslocalizar empresas e/ou projetos centrados em tecnologia e em conhecimento, com perspetiva de desenvolvimento de produtos inovadores", que "gozam de potencial para criação de emprego qualificado" e que "detêm potencial para atingir, três anos após o período de incubação, um valor de 325.000 euros, ou um volume de negócios superior a 500.000 euros/ano".

A avaliação do potencial económico e inovador será feita "tendo por base o grau de inovação, a escalabilidade do negócio e potencial de mercado, a capacidade da equipa de gestão, o potencial de criação de emprego qualificado em Portugal e a relevância do requerente na equipa".

As incubadoras, por seu lado, receberão os projetos que sejam considerados relevantes perante a sua avaliação e critérios e será o IAPMEI a fiscalizar o processo.

O ministério de Manuel Caldeira Cabral afirma que este programa pretende "reforçar o ecossistema de inovação" e "afirmar Portugal como um país aberto ao empreendedorismo e a todos que com o seu conhecimento e capacidade de inovação podem trazer investimento à economia portuguesa".

O lançamento deste programa - que faz parte do programa Startup Portugal e que é concretizado por portaria conjunta do Ministério da Economia e Ministério da Administração Interna - vai acontecer na Web Summit, pretendendo a tutela fazer "um convite direto aos 60 mil empreendedores e aos milhares de investidores presentes em Lisboa".

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)