Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
7

Grelhador terá causado fogo que destruiu carros em Góis

Judiciária analisa incêndio que causou danos em 13 viaturas e fez dois feridos junto a concentração de motos.
Paula Gonçalves 19 de Agosto de 2019 às 08:20
Grelhador terá causado fogo que destruiu carros em Góis
 Incêndio faz dois feridos e destrói 15 carros em parque de estacionamento em Góis
 Incêndio faz dois feridos e destrói 15 carros em parque de estacionamento em Góis
 Incêndio faz dois feridos e destrói 15 carros em parque de estacionamento em Góis
Grelhador terá causado fogo que destruiu carros em Góis
 Incêndio faz dois feridos e destrói 15 carros em parque de estacionamento em Góis
 Incêndio faz dois feridos e destrói 15 carros em parque de estacionamento em Góis
 Incêndio faz dois feridos e destrói 15 carros em parque de estacionamento em Góis
Grelhador terá causado fogo que destruiu carros em Góis
 Incêndio faz dois feridos e destrói 15 carros em parque de estacionamento em Góis
 Incêndio faz dois feridos e destrói 15 carros em parque de estacionamento em Góis
 Incêndio faz dois feridos e destrói 15 carros em parque de estacionamento em Góis
O incêndio que no sábado provocou danos em 13 viaturas – oito totalmente destruídas – e causou dois feridos, um dos quais com queimaduras graves, nas imediações da concentração de motos de Góis, poderá ter tido origem num grelhador que estaria a ser usado para cozinhar carne.

Esta é uma das hipóteses que estão a ser investigadas pelas autoridades, após relatos de testemunhas. "Pessoas que acorreram ao local falam na eventualidade de alguém ter ali grelhado carne", refere Jaime Garcia, da organização da concentração.

O caso está agora a ser investigado pela PJ do Centro e só depois de se apurarem as circunstâncias em que tudo aconteceu será possível os lesados tentarem imputar responsabilidades pelos danos causados nas viaturas. "Não sei o que vai acontecer. Só tinha um seguro básico de responsabilidade civil", refere um dos lesados, ao acrescentar que o contrato que tem com a seguradora não inclui danos próprios nem a reparação em caso de incêndio.

O fogo deflagrou num terreno contíguo ao parque de estacionamento da organização, propriedade da Câmara de Góis, que "não foi preparado para ser usado como estacionamento", refere Jaime Garcia.

"Tinha comprado o carro há 8 meses"
Fernando Marco, 56 anos, de São João da Madeira, tinha comprado o carro há 8 meses: "Perdi tudo. A viatura e o que estava no interior". A sua intenção era ir de moto à concentração, mas uma avaria levou-o a optar pelo carro. "Quando vi o fumo corri, mas não consegui salvar nada."

Inquérito a incêndio no Andanças arquivado e organização foi absolvida em tribunal
Um incêndio no parque de estacionamento do Festival Andanças, em Castelo de Vide, destruiu, em 2016, mais de 400 carros. Um ano depois, o Ministério Público arquivou o inquérito por não ter sido possível apurar qual a fonte de ignição.

Entretanto, a organização e a seguradora foram absolvidas pelo Tribunal Cível de Portalegre, decisão que no início do ano foi confirmada pela Relação de Évora. No processo, movido por uma lesada, os juízes consideraram que a organização cumpriu os requisitos de segurança.

PORMENORES
Gritos e pânico
Luís Miguel, de Oliveira de Azeméis, descreve um cenário de pânico e desespero por parte dos que perderam os carros. "Havia gritos e choro. Um rapaz que tinha o carro há uma semana chorava como uma criança."

Intervenção rápida
A presença de um dispositivo de segurança na concentração permitiu, segundo a organização, uma intervenção "rápida" e um socorro "imediato", conseguindo evitar "danos maiores".

15 mil inscritos
A concentração de motos, que terminou este domingo, decorria a 100 metros do local onde deflagrou o fogo. No recinto encontravam-se milhares de pessoas. Segundo Jaime Garcia, a edição deste ano registou uma das maiores afluências de sempre, com 15 mil inscritos.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)