Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
6

Greve em tribunal

Depois de 36 horas em que centenas de camiões do lixo foram impedidos de entrar no aterro da Valorsul de Mato da Cruz, em Vila Franca de Xira, a GNR chamou elementos do corpo de intervenção, que às 12h10 de ontem afastaram os funcionários da entrada e permitiram que o lixo fosse descarregado. “Para os trabalhadores esta acção policial viola a lei da greve e vão recorrer para a Justiça”, disse José Rodrigues, dirigente do Sindicato dos Trabalhadores da Química, Farmacêutica, Petróleo e Gás do Centro, Sul e Ilhas (Sinquifa).
18 de Novembro de 2007 às 00:00
Acção policial retirou funcionários da porta do aterro e permitiu a centenas de camiões fazerem descargas de lixo
Acção policial retirou funcionários da porta do aterro e permitiu a centenas de camiões fazerem descargas de lixo FOTO: Bruno Colaço
Os sindicalistas defendem que ocorreu uma violação da lei quando o corpo de intervenção retirou à força da entrada os trabalhadores que constituíam o piquete, cuja função, segundo o sindicato, é também zelar pelas instalações, segurança e bens da empresa. Para a Valorsul não há contudo lesão dos direitos do piquete de greve porque a função deste é “o desenvolvimento de actividades tendentes a persuadir os trabalhadores a aderirem à greve, por meios pacíficos, sem prejuízo do reconhecimento da liberdade de trabalho dos não aderentes”.
A empresa acusa contudo o sindicato de violação da lei da greve, devido ao facto de a entrada dos camiões ser barrada por “cinco dezenas de pessoas exteriores àquela unidade”. Para José Rodrigues, a acusação de que o sindicato está a recorrer a pessoas estranhas para bloquear a empresa será também remetida para tribunal. Na acção consta ainda “a chamada pelos funcionários, por duas vezes, de inspectores do trabalho para averiguarem a substituição de trabalhadores em greve por pessoas estranhas à empresa”.
A Valorsul esclareceu que “a presença policial decorre do bloqueio e não da presença de pessoas exteriores àquela unidade ou à empresa”.
INCINERADORA JÁ NÃO RECEBE CAMIÕES
A concentração de camiões no aterro de Mato da Cruz resulta segundo fonte sindical, do facto de a central de São João da Talha estar cheia de lixo após cinco dias de paralisação. Encontra-se em período de manutenção, pelo que o lixo orgânico irá para Mato da Cruz.
RECEBIDOS POR JOSÉ SÓCRATES
Funcionários e dirigentes sindicais são recebidos amanhã pelas 11h00 no gabinete do primeiro-ministro, José Sócrates. Os trabalhadores vão apelar ao chefe de Governo para que interceda junto da administração da Valorsul para o início de negociações. Ao CM fonte da empresa esclareceu que “a administração da Valorsul nunca se recusou às negociações mas não o fará em situações de anúncio ou realização efectiva de greve”. Os trabalhadores encontram-se em greve para protestar contra os aumentos salariais de dois por cento oferecidos pela administração e contra a redução do tempo de descanso obrigatório entre turnos, de 12 para oito horas.
Os grevistas queixam-se também de falta de condições de higiene e segurança nas instalações da Valorsul e de intimidação policial destinada a cercear o direito à greve. A empresa justifica a acção policial pela falta de recolha de lixo constituir um perigo para a saúde pública.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)