Grupo espanca homem com atraso mental em Vieira do Minho

Cruz Vermelha foi ao local. Bombeiros não tinham equipa.
Por Fátima Vilaça|19.02.19
Paulo Vieira, de 41 anos, é figura assídua nas festas de Vieira do Minho. No domingo à tarde, o homem, que sofre de um atraso mental acentuado, foi barbaramente espancado quando ajudava uma criança a levantar-se, após uma queda no recinto da Feira do Fumeiro. Foi atirado ao chão e pontapeado na cabeça por um por um grupo de homens. Ficou inanimado e foi hospitalizado. Esta segunda-feira teve alta médica, mas não quer formalizar queixa.

"Ele ficou muito assustado. Diz que tentou ajudar a menina e que foi atacado por um grupo. Só se lembra de estar no chão a ser socorrido pelos médicos", contou ao CM uma vizinha da vítima, que esta segunda-feira se disponibilizou para o levar à GNR para formalizar queixa. Paulo recusa. "Diz que não quer problemas", atira a vizinha.

A agressão violenta aconteceu no domingo, cerca das 19h00. O deficiente, que estava alcoolizado, ter-se-á dirigido ao grupo de crianças quando viu uma delas a chorar no chão. Assim que se apercebeu que o deficiente segurava a menina, em lágrimas, o pai, que ao que o CM apurou, é candidato a bombeiro em Vieira do Minho, empurrou-o com violência. Outros três familiares, todos de nacionalidade brasileira, aproximaram-se da vítima, já no chão e continuaram a agredi-la.

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!