Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
4

Grupo faz razia em gasolineiras

Durante um ano, assaltaram dezenas de casas, onde roubavam as chaves dos carros. As viaturas eram, depois, usadas para arrombar as portas de lojas de gasolineiras no Grande Porto. Entre tabaco roubado em bombas, carros furtados e os estragos causados, o grupo de 16 homens, que começou ontem a ser julgado no Tribunal de São João Novo, no Porto, fez mais de 300 mil euros de prejuízos.
13 de Janeiro de 2011 às 00:30
O grupo foi desmantelado em Julho de 2009 pela PSP, que levou os suspeitos para o TIC do Porto
O grupo foi desmantelado em Julho de 2009 pela PSP, que levou os suspeitos para o TIC do Porto FOTO: Gisela Caridade

O Ministério Público acusa-os de furtos qualificados, roubos, burla, dano, posse de arma proibida e, ainda, crimes de incêndio e receptação.

Dos 16 arguidos, os cinco que estão presos preventivamente constituíam o núcleo duro do grupo. Na investigação da PSP, que envolveu horas de escutas telefónicas, os arguidos falavam em código para tentar iludir as autoridades: "uma estrela" correspondia a um Mercedes, "revistas" significavam maços de tabaco e a expressão "ir trabalhar" servia para dizer que iam furtar.

A Acusação, a que o CM teve acesso, dá conta de que, em vários assaltos a bombas de gasolina, alguns elementos do grupo foram filmados pelas câmaras de videovigilância, tal como aconteceu em 13 de Fevereiro de 2009, na gasolineira da Repsol, em Espinho, de onde foram roubados mais de 6500 euros de tabaco.

Os elementos do grupo, residentes no Porto, em Gondomar e em Valongo, actuaram no Grande Porto, Braga, Espinho, Vale do Sousa e Santa Maria da Feira, até serem detidos pela PSP, em Julho de 2009.

PORTO PSP JULGAMENTO TRIBUNAL SÃO JOÃO NOVO GASOLINEIRAS
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)