Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
2

Grupo atacava durante funerais

Gang vigiava moradias de luxo e até aproveitava casamentos ou cerimónias fúnebres para atuar com as casas vazias. PSP fez, pelo menos, onze detidos.
Catarina Gomes Sousa e Sérgio Pereira Cardoso 30 de Outubro de 2014 às 14:46
DIC da PSP desmantelou grupo, que assaltava ainda armazéns, lojas e edifícios públicos
DIC da PSP desmantelou grupo, que assaltava ainda armazéns, lojas e edifícios públicos FOTO: Rafaela Cadilhe

O grupo de assaltantes estava há mais de um ano sob o olhar atento da Divisão de Investigação Criminal (DIC) da PSP do Porto. Serão responsáveis por mais de 35 assaltos em casas de luxo, lojas, armazéns e edifícios públicos – e sempre de forma altamente organizada, chegando, ao que o CM apurou, até a atacar moradias quando sabiam que os donos estavam em casamentos ou funerais. A investigação culminou ontem na detenção de, pelos menos, 11 assaltantes no Porto, em Gaia, Braga e Guimarães. Têm de 25 a 60 anos.

Aquele que será o cabecilha do gang, de 45 anos, é já um velho conhecido das autoridades, com cadastro pelo mesmo tipo de crime, e vive em Valongo – uma das zonas onde ontem houve buscas domiciliárias. As diligências decorreram ainda em Ermesinde, no mesmo concelho, e Barcelos, onde a DIC do Porto contou com o apoio da PSP de Braga. O gang tinha métodos profissionais e usava tecnologia avançada. O automóvel que servia para vigilâncias era, à primeira vista, normal, mas estava equipado com uma câmara que captava todas as movimentações dos alvos a atacar.

Normalmente, o grupo escolhia casas de luxo de onde roubava ouro, dinheiro e joias, e tinha aparelhos próprios para abrir cofres e fechaduras. Em casa dos detidos, foram apreendidas ferramentas, armas de fogo e várias doses de droga.

O gang – que atuava no Minho e no Douro Litoral – será hoje de manhã presente ao Tribunal de Instrução Criminal.

Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)