Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
4

Guarda manda reparar velhas armas de 40 anos

Um problema num dos três mecanismos de segurança terá estado na origem da avaria da pistola Star 7.65mm, que encravou ao segundo tiro disparado por um militar da GNR durante a busca domiciliária feita pelo Núcleo de Investigação Criminal (NIC) de Vila Franca de Xira em Adega, Sobral de Monte Agraço. O incidente, que terminou com um guarda ferido e o agressor barricado durante 28 horas, pode obrigar a GNR a alterar a estrutura mecânica daquelas armas.
20 de Janeiro de 2006 às 00:00
Detenção do homem que disparou contra patrulha da GNR. A arma de um dos militares encravou
Detenção do homem que disparou contra patrulha da GNR. A arma de um dos militares encravou FOTO: Manuel Moreira
Segundo apurou o CM junto de fonte policial, a arma em causa já foi inspeccionada e agora a GNR prepara-se para fazer o mesmo a todas as pistolas Star utilizadas na operação em Sobral de Monte Agraço e, depois, a todas as que estão ao serviço, algumas há quase 40 anos. “É uma arma antiga, que exige manutenção, mas que está operacional”, adiantou fonte do Comando-Geral.
A Star, de fabrico espanhol, equipa quer a GNR quer a PSP. A arma possui três mecanismos de segurança: um na culatra, um no gatilho e um terceiro, onde tudo indica terá ocorrido a avaria ao segundo disparo feito em Sobral de Monte Agraço, que impede qualquer disparo da pistola sem o carregador estar colocado. A idade avançada do material e a falta de manutenção das armas podem originar as avarias.
Uma solução possível, apurou o CM, poderá passar pela eliminação do mecanismo de segurança que impede o disparo sem carregador, permanecendo os outros dois: o da culatra e o do gatilho.
A segunda solução, que fonte da GNR admite como “possível”, é a substituição das Star por outras armas, em particular as Walther. “Há capacidade para o fazer, mas temos toda a confiança neste modelo”, diz. Apesar de garantir que a arma espanhola é a preferida de muitos militares, a GNR não nega que também existem bastantes críticas e que há muitos guardas que prefeririam trazer no coldre outro tipo de arma.
POLÍCIAS ESPERAM MATERIAL
A PSP e a GNR acreditam que 2006 pode ser o ano decisivo para a renovação das armas ligeiras que têm ao serviço, o que permitirá resolver o problema do excesso de anos do material. No primeiro caso, segundo adiantou ao CM fonte do Governo, está em fase “adiantada” o processo de aquisição das pistolas de 9mm para a PSP, num concurso a decorrer no âmbito do Ministério da Defesa. O reequipamento foi anunciado em Julho do ano passado pelo ministro da Administração Interna, António Costa, e deverá estar concluído até ao final deste ano. Antes, e no âmbito do mesmo reequipamento, a PSP e a GNR deverão receber mais coletes anti-bala. Nesta altura, 1200 equipamentos estão a ser distribuídos pelos efectivos e, até ao final de Março, deverá chegar mais um milhar. Prometidas por António Costa estão também 500 ‘shotguns’. Por outro lado, o CM apurou que também a GNR está a preparar a aquisição de novas armas, embora o projecto esteja ainda numa fase inicial.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)