Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
3

Guarda-nocturno abatido

Um guarda-nocturno de 53 anos foi perseguido e abatido com vários tiros, ontem de madrugada, em Fradelos, Albergaria-a-Velha, por um grupo que seguia em duas carrinhas furtadas.
16 de Maio de 2005 às 00:00
A vítima teve morte imediata. O crime teve, pelo menos, uma testemunha – que relatou ao Correio da Manhã como a cena lhe pareceu “uma autêntica guerra”.
“Eram tiros por todo o lado. Só se via fogo azulado a sair das armas”, disse ao CM, António Silva, que acordou com o som dos disparos, mesmo em frente à sua casa. “Eram 04h30 quando comecei por ouvir o chiar dos pneus. Deve ter sido uma perseguição alucinante. Quando vim à janela espreitar o que se passava, começou o barulho dos tiros”.
A vítima, Joaquim Pinto Soares fazia vigilância por conta própria a algumas casas e estabelecimentos comerciais em Albergaria-a-Velha. O seu nome não consta da lista oficial de guardas-nocturnos na GNR. Segundo fonte policial, Joaquim Soares terá surpreendido um assalto quando percorria as ruas da localidade de Fradelos – e, por isso, foi perseguido e assassinado pelos criminosos.
O guarda-nocturno conduzia um Renault Clio. Os assassinos seguiam em duas carrinhas comerciais. Segundo António Silva, o morador de Fradelos, os disparos foram efectuados por vários dos ocupantes dos furgões. “O Clio já tinha sido atingido quando parou à frente da minha casa. Foi nesse momento que os indivíduos saíram da Ford Transit, aproximaram-se do homem e ainda lhe deram mais não sei quantos tiros”, diz António Silva. A vítima, segundo a testemunha, não terá disparado.
Fonte da PJ de Aveiro, que investiga o caso, acredita que “a vítima deve ter surpreendido um crime”.
Uma das carrinhas utilizada no crime (uma Ford Transit) foi recuperada por uma patrulha da Guarda Nacional Republicana, escassas horas depois, abandonada, nos arredores de Estarreja. Os ocupantes desta carrinha, que tinha sido furtada, podem ter estado envolvidos, segundo fonte da GNR, em disparos contra uma patrulha da BT.
PJ INVESTIGA TIROS CONTRA BT
Os criminosos que ontem perseguiram e mataram a tiro o guarda-nocturno, em Fradelos, podem ser os mesmos que, horas antes, tinham disparado contra uma patrulha da Brigada de Trânsito, na zona de Oiã, também no distrito de Aveiro. “No decorrer de uma operação de fiscalização de trânsito, a BT mandou parar uma Ford Transit, cerca das 2h10. No entanto, o condutor da viatura não só desobedeceu à ordem de paragem, como ainda disparou alguns tiros contra o carro-patrulha, danificando o tejadilho, mas sem provocar feridos”, disse ao CM o tenente José Machado, da BT de Aveiro. A Brigada de Trânsito enviou um alerta pela rede de rádio da GNR, mas as brigadas territoriais não conseguiram localizar os fugitivos. O caso está agora a ser investigado pela Polícia Judiciária de Aveiro. No entanto, diz fonte da PJ, apenas há a suspeita de que os dois casos estão relacionados.
PORMENORES
RONDA
Joaquim Soares, de 53 anos, era guarda-nocturno por conta própria, em Albergaria: vigiava residências e estabelecimentos comerciais. Nunca declarou a actividade de vigilante à GNR.
PERSEGUIÇÃO
A vítima começou a ser perseguida por um grupo que seguia em duas carrinhas. A vítima recebeu vários tiros. Teve morte imediata.
ROUBO
A carrinha Ford Transit utilizada pelos assassinos tinha sido furtada escassas horas antes do homicídio. Foi recuperada pela GNR, abandonada, numa estrada em Estarreja.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)