Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
3

Guardas salvam casal da morte

Uma equipa do Serviço de Protecção da Natureza (SEPNA) da GNR da Covilhã salvou da morte um casal que viajava de carro e se despistou, caindo num tanque agrícola cheio de água, quarta-feira à tarde, em Tortosendo.
1 de Junho de 2007 às 00:00
As vítimas ficaram fechadas no interior do carro coberto de água
As vítimas ficaram fechadas no interior do carro coberto de água FOTO: Lídia Barata
O casal – o homem, de 61 anos, e a mulher, de 58 –, residente na Covilhã, estava a fazer um test drive com uma viatura nova quando, pelas 17h15, se despistou por motivos ainda desconhecidos.
O veículo ficou submerso, virado ao contrário, com os dois ocupantes presos no interior, sem qualquer hipótese de saírem pelo próprio pé.
Para “grande sorte” dos acidentados, na mesma altura uma equipa de quatro militares do SEPNA da Covilhã estava a realizar uma operação de rotina na zona de Tortosendo, quando foi alertada por um popular para o drama que se estava a desenrolar.
Os militares da GNR dirigiram-se de imediato para o tanque agrícola, onde encontraram o veículo “virado ao contrário e a deitar fumo por todo o lado”. Sem tempo para qualquer hesitação, espreitaram pelos vidros e repararam que no interior estavam duas pessoas em pânico, a acenar para que os retirassem. Depois, deitaram “mãos à obra”.
“Foi pura sorte nós andarmos na zona. Se o senhor que ali se encontrava não nos tivesse chamado à atenção, nós não víamos a viatura porque não nos apercebemos do acidente”, disse ontem o mestre florestal António Condesso, que desconhece o tempo que o casal esteve no interior do veículo.
Devido ao aparato do acidente, os militares da GNR pensaram, de início, que as pessoas já estariam mortas, mas ficaram “aliviados” quando as vítimas “deram sinal de vida”.
“Primeiro tivemos de desencostar o carro de uma das paredes do tanque e depois lá conseguimos abrir a porta de trás, por onde o casal saiu”, explicou o mestre António Condesso, salientando o papel importante do popular que deu o alerta e também ajudou no resgate dos sinistrados.
As vítimas do despiste saíram da viatura em estado de choque, mas mantiveram-se sempre conscientes. Depois de terem recebido os primeiros socorros, foram transportadas em ambulâncias dos bombeiros para o Centro Hospitalar da Cova da Beira, na Covilhã.
As vítimas foram assistidas nas urgências da unidade hospitalar e depois de sujeitas a diversos exames tiveram alta e regressaram a casa.
SALVAMENTO ACIDENTAL
Os quatro militares do SEPNA que salvaram o casal da morte foram surpreendidos pelo acidente durante uma missão de rotina e não era previsível que se deparassem com o acidente. Na verdade, a sua missão geral é a de zelar pelo cumprimento das disposições legais referentes à protecção e conservação da natureza e do ambiente, bem como prevenir, reprimir e investigar os respectivos crimes.
Neste caso, o casal acabou por ter alguma sorte, porque os militares estavam por perto e foram em seu auxílio. E mesmo as equipas do SEPNA têm a obrigação, entre os demais deveres, de realizar dentro das suas capacidades todas as tarefas que respeitem à GNR, como é prestação de socorro a cidadãos em dificuldades ou intervir no caso de acontecer qualquer acidente. De qualquer forma, foi um salvamento a que não estão acostumados.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)