Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
3

Haxixe apanhado dispara

As apreensões de haxixe dispararam em Portugal desde Janeiro – 15,1 toneladas só nos primeiros seis meses. Os números mostram um aumento de 420 por cento só nas apreensões desta droga entre Janeiro e Julho, face a igual período de 2006 – em que as polícias portuguesas só apanharam 2,9 toneladas aos traficantes.
26 de Setembro de 2007 às 00:00
Haxixe apanhado dispara
Haxixe apanhado dispara
Em sentido contrário, as apreensões de cocaína desceram, o que pode ser explicado por a maioria da cocaína ter como destino o estrangeiro e terem sido alteradas as rotas. Ainda assim, a maior apreensão tinha como destino o mercado português – 2,2 toneladas de cocaína apanhadas em Leça da Palmeira pela Judiciária.
Apesar do aumento nas quantidades, o número de apreensões de haxixe baixou – de 1273 no ano passado para 1104. As maiores operações foram realizadas pela Polícia Judiciária, entre Fevereiro e Maio: 2,3 toneladas em Moncarapacho, Olhão (Fevereiro); 2,5 toneladas também em Olhão (Abril); 2,5 toneladas em Almodovar (Maio); e as 2,5 toneladas em Grândola (Maio).
A ‘invasão’ do mercado português com haxixe “reflecte a maior aposta das redes nesta droga, depois de as rotas marítimas possíveis para o grande tráfico de cocaína terem sido desmanteladas nos últimos anos”, adianta ao CM fonte policial. O haxixe chega sobretudo de Marrocos mas também do Reino Unido, enquanto a cocaína tem origem entre o México, Venezuela e Brasil.
Neste caso o número de apreensões até aumentou, 731 para as 703 do ano passado, mas a cocaína apanhada caiu de 31,2 toneladas em 2006 para 5,2 no primeiro semestre desde ano. “Das 49 rotas internacionais apenas em 17 casos a droga tinha o mercado português como destino final”, realça a Judiciária.
Também as apreensões de heroína e ecstasy caíram do ano passado para este ano, com a primeira a baixar dos 65,7 quilos para 36,1 e os sintéticos dos 96,5 mil comprimidos para os 55,5 mil em 2007. A Judiciária apreende a maioria da droga em Portugal, com o contributo da PSP, GNR, SEF, Direcção-Geral das Alfândegas, Polícia Marítima e ainda dos Serviços Prisionais.
MAIS DE 2.000 PORTUGUESES REFERENCIADOS
A maioria dos traficantes e consumidores de droga apanhados pelas autoridades tem entre 20 e 29 anos e está ligada ao haxixe – 695, segundo a PJ. Nesta faixa etária, 1339 são consumidores e traficantes de haxixe, entre detidos e não detidos. Ainda entre os mais novos, 333 dedicam-se ao tráfico ou consumo de cocaína, 261 à heroína e 50 ao ecstasy. Segue-se a faixa etária entre os 30 e 39 anos, com 989 consumidores e traficantes de droga.
Entre os maiores de 40 anos há 691 consumidores e traficantes, ao passo que na faixa sub 20 regista-se 318. Ao todo, há 2058 referenciados por estarem ligados às drogas. Quanto a estrangeiros, há 208 cabo-verdianos, 46 guineenses, 44 brasileiros, 38 venezuelanos, 27 espanhóis, 21 angolanos, 14 holandeses, 12 marroquinos e 8 colombianos.
MENOS DINHEIRO CONFISCADO
As polícias portuguesas apreenderam, entre Janeiro e Junho, 287 carros (menos 29 do que no ano passado), quatro carrinhas (mais uma), 28 motos (menos quatro), cinco barcos (mais três), 121 armas (menos uma), 1604 telemóveis (mais 98), 1 062 004 euros em moeda portuguesa (menos 4 894 265) e 24 241 euros (menos 1 008 543), segundo dados apresentados pela PJ. Entretanto, o preço da droga nas ruas caiu no mercado português do ano passado para este ano, com o grama de cocaína, à média de 48,97 euros em 2006, a baixar este ano para os 40,39 euros.
O relatório do primeiro semestre aponta ainda para uma quebra no valor da heroína, de 42,79 para 34,47 euros – enquanto apenas o haxixe e marijuana subiram: a primeira custa agora 3,06 euros contra 2,17 do ano passado e a segunda teve um aumento de 1,72 para 4,27 euros o grama.
No mercado ilegal dos sintéticos, o ecstasy subiu de 2,43 para 3,3 euros este ano, mas o LSD caiu quase três vezes no preço do ano passado para 2007: de 9,58 para os 3,33 euros actuais. A cocaína chega do México, Venezuela e Brasil; a heroína vem da Holanda e Espanha; o haxixe vem do Reino Unido e Marrocos; e o ecstasy chega exclusivamente da Holanda.
PORMENORES
HÁBITOS DE CONSUMO
“Um semestre de actividade policial não é suficiente para que se tirem conclusões sobre alterações nos hábitos de consumo”, diz ao CM João Goulão, presidente do Instituto da Droga e Toxicodependência. O IDT conta apresentar “um estudo com outros indicadores” nos próximos tempos.
TRÁFICO EM DISTRITOS
Os distritos de Lisboa, Porto e Évora, além do arquipélago dos Açores são os locais onde a PJ apanhou mais heroína; no Porto e ilha da Madeira destaca-se a cocaína; enquanto a maioria do haxixe foi apanhado em Faro, Évora, Beja e Setúbal. O Aeroporto de Lisboa destaca-se nas maiores apreensões de ecstasy – um total de 54 841 pastilhas.
359 MULHERES
São 359 as mulheres implicadas em tráfico de droga, entre Janeiro e Junho, segundo a PJ – 115 por heroína, 151 na cocaína, 85 no haxixe e apenas oito ligadas ao ecstasy.
QUANTIDADES DE DROGA APREENDIDAS
HERÓINA
2006: 65,7 kg / 707 apreensões
2007: 36,1 kg / 662 apreensões
COCAÍNA
2006: 31,2 toneladas / 703 apreensões
2007: 5,2 toneladas / 731 apreensões
HAXIXE
2006: 2,9 toneladas / 1.273 apreensões
2007: 15,1 toneladas / 1.104 apreensões
ECSTASY
2006: 96,5 mil comprimidos / 79 apreensões
2007: 55,5 mil comprimidos / 43 apreensões
Fonte PJ
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)