Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
3

Homem baleado à porta do quartel

Um imigrante de nacionalidade ucraniana está internado em estado grave no Hospital S. Teotónio, em Viseu, após ter sido atingido a tiro, anteontem à noite, em frente aos Bombeiros Voluntários daquela cidade, num bairro problemático onde nos últimos meses já ocorreram diversos tiroteios.
4 de Junho de 2007 às 00:00
Quando a polícia chegou ao local, os agressores já tinham fugido
Quando a polícia chegou ao local, os agressores já tinham fugido FOTO: Luís Oliveira
Segundo o CM apurou no local, Nikolae Grynenko, de 37 anos, esteve durante toda a tarde e princípio na noite num bar em frente às instalações dos Voluntários de Viseu. Às 22h40 saiu do bar e foi violentamente agredido com um bastão e depois foi atingido por o disparo de uma pistola 6.35mm. De seguida os agressores entraram numa carrinha Mercedes e fugiram a alta velocidade para parte incerta.
O ucraniano ficou a esvair-se em sangue entre duas viaturas, até ser socorrido pelos bombeiros que o transportaram para o Hospital de Viseu. De acordo com fonte hospitalar, a vítima foi sujeita a uma intervenção cirúrgica, onde lhe removeram uma bala que estava alojada na zona do abdómen e está internado num estado considerado ‘grave’ mas ‘estacionário’.
A PSP encontrou no local dois projécteis de bala 6.35 e agora desenvolve investigações com vista à captura dos agressores que, de acordo com o relato de testemunhas, ainda dispararam mais dois tiros para o ar na altura em que fugiam. Segundo apurámos tudo aponta que se tenha tratado de um ‘ajuste de contas’ devido a problemas antigos entre os intervenientes do tiroteio.
Alguns habitantes no local ouviram os tiros mas não ousaram sequer em se assomar às janelas. “Eu ouvi uma discussão seguida de dois tiros mas tive medo em ir ver o que se passava”, referiu ao CM uma das moradoras.
O Bairro da Balsa é conhecido por ser um dos mais difíceis da cidade de Viseu. Anteontem, os moradores voltaram a deparar-se com desavenças que acabaram em tiroteio, uma situação que já é encarada com “alguma normalidade” por alguns populares, tendo em conta que naquele bairro “são muito frequentes” os actos de violência.
“Ainda na quinta-feira à noite foram disparados mais de cinco tiros. Hoje – sábado à noite – pensei que fossem para o ar mas não, desta vez foram mesmo contra o homem”, desabafou um bombeiro da corporação de Viseu, salientando que o bairro “está cada vez pior”.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)