Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
6

Homem chora e confessa morte de senhoria

Carlos Jorge Sousa assassinou a mulher, de 79 anos, com tiro de caçadeira na cabeça, vingando-se de despejo. Garante que apontou, mas não fez mira
6 de Dezembro de 2013 às 14:29
Carlos Jorge Sousa começou a ser julgado pela morte da senhoria, Maria Elisa, após ter recebido uma ordem de despejo
Carlos Jorge Sousa começou a ser julgado pela morte da senhoria, Maria Elisa, após ter recebido uma ordem de despejo FOTO: Amândia Queirós

Carlos Jorge Sousa, de 59 anos, estava em fúria pelo facto de a senhoria, Maria Elisa, de 79, ter avançado com o despejo da casa em que aquele morou toda a vida, em Gulpilhares, Vila Nova de Gaia. A 13 de setembro do ano passado, o arguido pegou numa caçadeira, seguiu a vítima até ao quintal e matou-a com um tiro na cabeça. Ontem, no início do julgamento, confessou o homicídio ao coletivo de juízes, mas negou a premeditação. "Nunca tinha pensado em fazer mal à senhora Elisa. É verdade que na noite anterior carreguei a arma, mas não sei porquê. Talvez para a matar ou para me matar a mim", disse Carlos, a chorar.

O crime ocorreu na manhã seguinte ao homicida ter recebido a carta do tribunal a dizer que tinha 30 dias para deixar a habitação - a senhoria não quis renovar o contrato, após a morte da mãe do réu. "Vi-a no quintal, fui por ali fora e disparei um tiro. Foi para o que me deu. Apontei a arma para ela, mas não foi como ir à caça, não fiz mira", referiu o arguido, que está preso. Maria Elisa foi atingida quando estava de costas: "Deixei a arma em cima da banca da cozinha e liguei para o 112. Disse para me irem buscar o mais rápido possível."

Foram ainda ouvidas as duas filhas da vítima, assistentes no processo, e também a filha e o psiquiatra do arguido. "Ele sofre de um distúrbio de personalidade. É um solitário e fica descontrolado quando é contrariado", explicou o médico.

Durante as alegações finais, o Ministério Público pediu a condenação de Carlos Jorge pelos crimes de homicídio qualificado e por posse de arma proibida.

Matou senhoria condenado caçadeira tiro cabeça despejo
Ver comentários