Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
4

Homem espancado e morto a tiro deixado em ETAR em Setúbal

Segurança encontrou corpo de asiático, com cerca de 30 anos, sem documentos e muito desfigurado.
Miguel Curado e Pedro Ramos Bichardo 5 de Maio de 2019 às 01:30
GNR
GNR
GNR
GNR
GNR
GNR
Um homem, com cerca de 30 anos, foi espancado e morto com, pelo menos, três disparos de arma de fogo, tendo o cadáver sido abandonado este sábado de manhã junto a uma ETAR situada no parque industrial da Mitrena, Setúbal.

A Polícia Judiciária investiga e procura ajuda nas câmaras de videovigilância das várias empresas existentes na zona.

A vítima, de origem asiática, não levava quaisquer documentos. O CM sabe que o cadáver terá sido abandonado durante a madrugada num descampado e encontrado pouco depois das sete da manhã por um segurança de uma ETAR. Foi este a chamar a GNR, via 112.

Os militares do posto de Setúbal, ao aperceberem-se dos sinais evidentes de homicídio, chamaram a Polícia Judiciária. Uma equipa de inspetores especializados na investigação destes crimes recolheu todos os vestígios, tendo o cadáver sido transportado, a meio da manhã, para a morgue do hospital de Setúbal. A autópsia será fundamental para apurar a identidade da vítima e prosseguir com a investigação.

A PJ, sabe o CM, vai tentar reconstituir os passos do imigrante asiático em território português. A grande dúvida passa pela forma como o crime aconteceu.

Desconhece-se se o homem terá sido atraído àquele local e, depois, espancado e morto a tiro, ou se o crime foi consumado noutro local e depois o cadáver abandonado nas imediações da ETAR da Mitrena, onde foi encontrado. Vários funcionários de empresas na zona serão também interrogados pelos investigadores.

PORMENORES
Poça de sangue
Horas depois de o cadáver ter sido encontrado, era ainda visível a poça de sangue que marcava o local, junto a uma ETAR no parque industrial da Mitrena, Setúbal, onde o corpo foi abandonado.

Difícil acesso
O local onde o cadáver foi deixado, na madrugada deste sábado, é de difícil acesso por automóvel. A Judiciária estuda a possibilidade de o corpo ter sido transportado por alguém que se deslocou a pé.

Invólucros
Parte importante da investigação da PJ a este crime passa pela recolha de invólucros de munição de arma de fogo. Inspetores examinaram o local, em busca destas importantes provas do crime.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)