Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
1

Homem morto por autocarro

Um autocarro desgovernado, aparentando ter falta de travões, matou ontem uma pessoa e feriu outras oito no terminal rodo-ferro-fluvial do Barreiro. A vítima, um homem de 47 anos, esperava por transporte quando o pesado colheu o grupo de pessoas.
11 de Agosto de 2010 às 00:30
Rui Silva, adjunto de comando dos Bombeiros da Salvação Pública do Barreiro, coordenou as operações de apoio aos feridos do acidente
Rui Silva, adjunto de comando dos Bombeiros da Salvação Pública do Barreiro, coordenou as operações de apoio aos feridos do acidente FOTO: Mariline Alves

O acidente ocorreu pelas 18h20, quando o terminal estava cheio de transeuntes que saíam dos barcos. Anabela Militão recordou ao CM o pânico sentido. "Vi o autocarro a aproximar-se devagar da paragem. Foi rápido a galgar o passeio, lançando o pânico entre as pessoas. Foi terrível".

O pesado de passageiros, pertencente aos Transportes Colectivos do Barreiro (TCB), com matrícula de 1997, aparentava estar desgovernado por alegada falta de travões. A viatura tinha circulado o dia inteiro sem registar problemas mecânicos. No entanto, à hora do acidente, o motorista, com pouco mais de 50 anos e nove e meio de experiência na profissão, foi incapaz de travar a sua marcha, tendo o pesado colhido um grupo de 20 pessoas.

Após os sucessivos atropelamentos, o autocarro dos TCB abalroou outro pesado de passageiros que estava estacionado. Este veículo era conduzido por uma mulher grávida, que precisou de tratamento hospitalar. Os 20 passageiros que seguiam no autocarro que causou o acidente saíram depressa da viatura.

As corporações de bombeiros da Salvação Pública do Sul e Sueste enviaram para o acidente um total de 11 viaturas e 29 homens. A zona do acidente foi vedada pela PSP. O ferido mais grave, um homem de 47 anos, foi abalroado pelo autocarro. Transportado do local ainda vivo, faleceu à entrada do hospital do Barreiro.

Uma mulher de 50 anos, que esperava por transporte, sofreu uma fractura exposta numa perna. Estava, à hora de fecho desta edição, a ser operada. O Hospital do Barreiro assistiu outros sete feridos, todos ligeiros.

MOTORISTA PODE INCORRER EM HOMICÍDIO

O motorista que conduzia o autocarro dos Transportes Colectivos do Barreiro (TCB) que ontem lançou o pânico no terminal de transportes da cidade poderá vir a incorrer numa acusação de homicídio por negligência. Esta decisão terá de ser tomada pelo Ministério Público do Barreiro, assim que a PSP conclua as investigações ao acidente do final da tarde. Ao que o CM apurou, caberá a técnicos do Instituto de Mobilidade e Transportes Terrestres (IMTT) a tarefa de realizar os primeiros exames periciais à viatura. As conclusões serão, depois, alvo de um relatório, entregue a uma equipa de agentes da PSP do Barreiro, especializada na investigação de acidentes de viação com vítimas mortais. O motorista dos TCB, bem como testemunhas e os feridos do acidente, será interrogado.

SEGURO DOS TRANSPORTES VAI SER ACTIVADO

O presidente da Câmara Municipal do Barreiro, Carlos Humberto, deslocou-se ao terminal de transportes mal teve notícia do acidente. O autarca, que demonstrou "profunda consternação" pela tragédia que causou um morto e oito feridos, prometeu que a edilidade vai abrir de imediato um inquérito interno para apurar os factos. "Todos os autocarros dos Transportes Colectivos do Barreiro têm seguro, que vai ser agora activado", prometeu Carlos Humberto. De acordo com o autarca, todas as vítimas que precisarem de apoio "tê-lo-ão por parte da Câmara Municipal do Barreiro".

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)