Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
4

Homicida da Amadora fica na cadeia

O juiz de Instrução Criminal do Tribunal da Amadora não teve qualquer dúvida ao aplicar a medida de coacção mais gravosa ao homem de 26 anos que matou a tiro um reformado, na quarta-feira. O brasileiro Elivan Carvalho Pimenta ficou ontem em prisão preventiva e foi levado para a zona prisional da Polícia Judiciária em Lisboa, onde fica a aguardar julgamento.
4 de Fevereiro de 2012 às 01:00
Victor Fernandes foi morto a tiro à frente da companheira, à porta da dependência do Banif, na Amadora
Victor Fernandes foi morto a tiro à frente da companheira, à porta da dependência do Banif, na Amadora FOTO: Vítor Mota

Victor Fernandes, de 67 anos, foi morto ao ir em socorro da companheira, abordada pelo suspeito numa caixa de multibanco. O homem foi baleado à queima-roupa por Elivan, que queria dinheiro para a gasolina. Teve morte imediata.

O brasileiro tentou de seguida assaltar um soldado do Exército, praticante da arte marcial krav maga, que lhe tirou a pistola. Acabou detido sete horas depois, na sua casa, perto do local do crime. Um amigo denunciou-o à PSP depois de este lhe confessar o crime - com medo de ser incriminado por ter emprestado o seu carro a Elivan, que o deixou estacionado no local do crime.

Família e amigos estão desfeitos com a tragédia. "Tínhamos-lhe dado todo o dinheiro do Mundo, mas não me podia levar o Victor. Não disse nada e aquele homem matou-o", desabafou ontem a companheira Leonor Duarte. O funeral do técnico de voo reformado realiza-se esta tarde, no cemitério do Lumiar.

Ao que o CM apurou junto de fonte policial, Elivan é suspeito de ter assassinado uma pessoa em Goiás, no Brasil. A Polícia Judiciária está a investigar, junto das autoridades brasileiras, o contorno do alegado crime.

Amadora homicida Brasil
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)