Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
1

Homicida foge do Consulado

"Porque é que ele fez isto?” Foram estas as últimas palavras de Moisés Pimenta, 23 anos, antes de falecer, vítima de uma facada no coração. O caso passou-se no domingo, cerca das 16h00, num café da Charneca de Caparica muito frequentado por brasileiros e o suspeito do crime foi detido anteontem à tarde próximo do Castelo de São Jorge, em Lisboa, depois de conseguir escapar à polícia no Consulado Geral do Brasil em Lisboa.
20 de Março de 2008 às 00:30
Ilustração de Daniel Maia
Ilustração de Daniel Maia
O CM apurou que o suspeito – um homem de 20 anos – e a vítima já se conheciam e nada fazia prever o sucedido. “Ele entrou e saiu do café duas ou três vezes. Na última vez veio com uma faca na mão e espetou-a no peito do Moisés”, relatou ao CM Reman Mariano, amigo da vítima e testemunha do crime. “Depois entrou num carro onde estava um cúmplice à espera e foi-se embora.”

A GNR da Charneca de Caparica tomou conta da ocorrência, mas o caso passou logo para a Polícia Judiciária. O suspeito desapareceu durante dois dias, mas dois amigos da vítima reconheceram-no quando este entrou no Consulado do Brasil, na Praça Luís de Camões, onde iria tratar do passaporte para sair do País. De imediato ligaram para a PJ, que solicitou a intercepção à PSP.

Quando os agentes chegaram, o homem já tinha fugido, mas os dois amigos da vítima correram atrás dele. “Agarraram-no próximo do Castelo de São Jorge e esperaram que a PSP chegasse”.

O indivíduo foi entregue à PJ de Setúbal. Contactadas pelo CM, nenhuma das entidades policiais quis prestar esclarecimentos sobre o caso. O Consulado brasileiro considerou que a PSP deveria ter tido “um comportamento mais cauteloso”.

APONTAMENTOS

PSP NO CONSULADO

A PSP esclareceu ontem que a entrada de três agentes, anteontem, no Consulado do Brasil, visava a intercepção do suspeito e que “a situação foi devidamente explicada ao Senhor Cônsul, após o que os elementos da PSP se retiraram.”

REPATRIAMENTO

O corpo de Moisés da Silva Pimenta, natural de Goiás, será repatriado hoje. Solteiro, estava em Portugal à três anos, onde trabalhava como canalizador.
Ver comentários