Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
3

HOMICÍDIO EM GARAGEM DE ERMESINDE

Uma senhora, de 56 anos, foi assassinada, com requintes de extrema violência, na sua residência, em Ermesinde, Valongo. O corpo de Maria das Dores Magalhães, solteira, jazia na garagem da casa, quando foi encontrado por uma vizinha.
24 de Junho de 2004 às 00:00
“Foi um horror. Estava deitada de bruços.Tinha um fio envolto no pescoço e pedaços de vidro de garrafa espetados na cabeça”, lamentou ao CM, Ana Silva.
Ainda combalida pela emoção, adianta que a viu viva à hora do almoço.
“Mas à noite, antes do jantar, estranhei ver muitas luzes acesas na casa, o que não era habitual, pois era muito poupada. Cerca das 11 horas da noite chamei por ela, mas não me respondeu”.
Intrigada, a vizinha decidiu apurar o que se passava. Na casa, reparou que o portão da garagem estava entreaberto. Espreitou e espantada deparou com o corpo de Maria das Dores estendido no chão, já sem vida.
“Chamei pelo meu marido e filho, que verificaram que no interior da casa tudo estava revolvido. Estranho não ter ouvido gritos”, contou.
Na vizinhança, todos especulam sobre o modo como o assassino terá penetrado na residência, pois a vítima nunca abria a porta a ninguém, e só aparecia quando chamavam por ela.
Maria das Dores residia numa rua pacata e era estimada por toda a vizinhança “por ser amiga de toda a gente”. “Quem a matou ou a conhecia bem ou surpreendeu-a na garagem, onde ela passava parte do seu tempo a cuidar do material que vendia nas feiras”, referiu a vizinha Helena Gabriel.
No local compareceram a PSP, o INEM e a Polícia Judiciária.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)