Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
2

Idosa foi estrangulada

A sexagenária desaparecida no sábado à noite em Cepelos, Vale de Cambra, foi ontem encontrada morta a mais de 40 quilómetros de casa, em Canelas, Arouca. O corpo tinha sinais de estrangulamento e violação, apurou o CM.
13 de Setembro de 2006 às 00:00
Caem assim por terra as suspeitas de atropelamento e fuga com ocultação de cadáver, conforme tinham adiantado fontes ligadas à investigação.
Maria Vitória, de 69 anos, foi encontrada pelas 11h00 por um casal que apanhava lenha, num local ermo no cimo de um monte.
Alcides Marcelino estava com a mulher, que lhe chamou a atenção para “uma boneca” abandonada no mato. O casal verificou então que não se tratava de uma boneca mas sim de um cadáver.
“Apanhei um grande susto. A mulher estava de costas, tinha uma saca plástica à volta do pescoço e as mãos ensanguentadas, mas ainda tinha os brincos nas orelhas”, recorda a testemunha.
A GNR de Arouca foi avisada e montou um perímetro de segurança à volta do local, à espera da Polícia Judiciária. Às 14h30, chegaram dois inspectores da PJ, que viriam a ser auxiliados por um especialista da investigação científica, que analisou ao pormenor o local.
O CM apurou entretanto que, para além dos vestígios referidos pelo casal de testemunhas, a idosa apresentava também sangue entre as coxas, o que leva a pensar que tenha sido vítima de violação. A suspeita só será confirmada após os exames do Instituto de Medicina Legal, mas para já parece ser a probabilidade que ganha mais consistência.
Embora as investigações ainda se encontrem em fase precoce, supõe-se que Maria Vitória terá sido abordada por um ou mais indivíduos, quando regressava ao povoado, depois de abrir uma represa para rega.
A vítima terá sido obrigada a entrar num carro, presumindo-se que tenha oferecido resistência, usando a enxada e a foice que trazia consigo. Esta é uma forma de explicar os vidros partidos de uma óptica de um carro, que apareceram no mesmo local em que foram abandonados os utensílios agrícolas.
Após uma viagem de 40 quilómetros pela Serra da Freita até Canelas, a violação e o assassinato terão sido consumados onde o corpo foi encontrado. O local fica a cerca de 400 metros da estrada e está protegido por uma densa mancha florestal.
SUSPEITAS
ATROPELAMENTO
Os vidros encontrados no local do desaparecimento eram consistentes com a hipótese inicialmente levantada da vítima ter sido atropelada e levada pelo condutor, com o intuito de ocultar o cadáver e o crime de atropelamento com fuga.
VINGANÇA
Populares de Viadal admitiam, a dada altura, que Maria Vitória podia ter sido alvo de um acto de vingança, por parte de alguém das suas relações próximas, que já a teria ameaçado verbalmente.
VIOLAÇÃO
A sexagenária apresentava vestígios de sangue nas coxas, o que pode levar a crer que tenha sido molestada sexualmente. A causa da morte terá sido o estrangulamento, com um saco de plástico, encontrado pelo casal de agricultores ainda enrolado no pescoço da vítima.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)