Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
6

Idoso de lar na cadeia por não pagar multa

Deixou passar prazo para liquidar coima de 400 euros. 78 anos e problemas de saúde não comoveram o juiz, que o mandou prender três meses.
29 de Abril de 2010 às 00:30
A polícia foi buscar o idoso ao lar Academia da Maceira para cumprir três meses de prisão em Leiria
A polícia foi buscar o idoso ao lar Academia da Maceira para cumprir três meses de prisão em Leiria FOTO: Rui Miguel Pedrosa

Tem 78 anos, sofre de problemas de saúde, estava alojado nas instalações de um lar para a terceira idade, mas nem isso o livrou de ir parar ao Estabelecimento Prisional Regional de Leiria, por não ter pago uma multa de trânsito. Agora, os guardas prisionais passam a vida a transportá-lo ao hospital.

Apanhado a conduzir sem carta de condução, Armando C. ficou a contas com a Justiça. O processo correu termos no tribunal e culminou com a condenação a uma pena de multa no valor de 400 euros. Em alternativa, teria que cumprir três meses de prisão.

Apesar dos conselhos dos técnicos que o acompanhavam no lar Academia de Maceira, Leiria, José deixou andar. Queixava--se do valor excessivo da multa, comparado com a magra reforma que tem como única fonte de rendimento, e nunca pagou ao tribunal.

Há duas semanas, a polícia apresentou-se no lar de idosos, com um mandado para o conduzir à cadeia.

Arnaldo Febra, presidente da direcção da Academia de Maceira, afirma ter conhecimento de situações em que os juízes optam por penas de trabalho comunitário, mas prefere não estabelecer comparações. 'É uma decisão do juiz que temos de respeitar', afirmou ao CM.

Armando continua a ser visitado na prisão pelas técnicas do lar, mas o seu estado de saúde tem obrigado os guardas prisionais a deslocações frequentes. Ontem, por exemplo, tiveram que transportar o idoso a uma consulta de cardiologia, num hospital de Coimbra.

PORMENORES

CARTA CADUCADA

O homem terá deixado caducar a carta de condução e já não conseguiu renová-la.

ÁLCOOL

A dependência do álcool tem prejudicado a integração social do septuagenário.

DIFICULDADES

Os responsáveis pelo lar não puderam disponibilizar os 400 euros para evitar que o idoso fosse para a cadeia. 

NINGUÉM O VIU CONDUZIR NOS ÚLTIMOS TEMPOS

O septuagenário trabalhou como ajudante numa oficina de bicicletas e foi acolhido na Academia de Maceira quando estava numa situação de ‘sem-abrigo’. Os responsáveis do lar arranjaram-lhe um espaço para viver nas antigas instalações da instituição e garantiam-lhe apoio domiciliário. Classificado como uma pessoa muito solitária e reservada, passava parte dos dias sentado à entrada da Academia. Como tinha liberdade de movimentos, de vez em quando deslocava-se a pé ao centro da povoação. No lar, não lhe é conhecida a posse de qualquer viatura automóvel nem o viram a conduzir nos últimos tempos.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)